CPI da Covid

R7 Planalto Vídeos mostram Bolsonaro sendo aconselhado por ministério paralelo

Vídeos mostram Bolsonaro sendo aconselhado por ministério paralelo

Reunião contou com a participação de Nise Yamaguchi, Osmar Terra (MDB-RS) e Paolo Zanotto, além de outros médicos

  • R7 Planalto | Do R7

Imagem mostra Jair Bolsonaro em reunião

Imagem mostra Jair Bolsonaro em reunião

Reprodução

Vídeos mostram o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sendo aconselhado por médicos que não fazem parte do quadro de funcionários do Ministério da Saúde.

A informação corrobora a tese de membros da CPI da Covid no Senado de que há um ministério paralelo discutindo ações de enfrentamento à pandemia de covid-19.

As imagens foram publicadas nesta sexta-feira (4) pelo portal Metrópoles. A reunião ocorreu em 8 de setembro e contou com a participação da imunologista Nise Yamaguchi, o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), o virologista Paolo Zanotto e outros médicos.

Trechos dessa reunião confirma, ainda, que o ex-assessor Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro Abraham Weintraub (Educação), intermediava os contatos entre o Palácio do Planalto e o grupo paralelo.

Nas imagens, é possível ver o virologista Paolo Zanotto aconselhando Bolsonaro a tomar “extremo cuidado” com as vacinas contra a covid-19. “Não tem condição de qualquer vacina estar realisticamente na fase 3”, disse. Na sequência, Zanoto afirma que acredita “que a gente tem que ter vacina, ou talvez não”.

Em outro trecho, as imagens motram o presidente Jair Bolsonaro falando bastante sobre a questão da hidroxicloroquina no combate à covid-19. Assista:

Nesta parte do vídeo da reunião, a médica Nise Yamaguchi fala sobre famílias que teriam se beneficiado com o chamado tratamento precoce. Veja:

Sentado ao lado de Jair Bolsonaro na mesa do evento, o deputado Osmar Terra negou que o encontro fosse uma reunião de aconselhamento paralelo do presidente. 

"O chamado gabinete paralelo não passa de uma ficção política. A ciência não é seletiva ou exclusivista. O presidente da República, Jair Bolsonaro, pode e deve ouvir opiniões diversas para tomar as mais relevantes decisões pelo povo brasileiro. A reunião divulgada recentemente ocorreu com a presença de vários especialistas, e consta na agenda oficial do presidente como uma audiência comum à atividade política", disse em nota. 

Últimas