R7 Planalto Votação para a presidência do Senado será em cédula

Votação para a presidência do Senado será em cédula

Requerimento apresentado por senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi acatado pela mesa diretora. Senadores querem mostrar os votos

Senador pede que votação no Senado seja em cédula

Senadores Maranhão e Renan conversam na mesa diretora

Senadores Maranhão e Renan conversam na mesa diretora

Geraldo Magela/Agência Senado

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) apresentou requerimento à mesa diretora do Senado, neste sábado (2) presidida pelo senador José Maranhão (MDB-PA), para que a votação para a escolha do presidente do Senado seja em cédula de papel. O pedido foi acatado pela mesa diretora. Inicialmente a votação seria em urna eletrônica. 

O objetivo de um grupo de senadores, Randolfe, Tasso Jereissatti (PSDB-CE) e Eduardo Girão (PROS-CE), que também assinam o requerimento, é poder mostrar, e provar aos eleitores, em quem votaram. A votação secreta em urna eletrônica não permitiria isso. 

A sessão preparatória para a escolha da mesa diretora do Senado, incluindo presidente, foi retomada perto das 11h45. A sessão foi suspensa ontem e remarcada para hoje após a aprovação de votação aberta pelo plenário por 50 votos a 2, bate-boca entre senadores, acusações e até roubo da pasta da mesa diretora. 

Durante a madrugada, uma decisão do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, determinou que o voto seja secreto e a sessão seja presidida pelo mais velho entre os senadores, José Maranhão. 

Bandeira

Na presidência da sessão preparatória, o senador José Maranhão revogou a exoneração deuiz Bandeira de Mello, que havia sido feita ontem pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).