R7 Planalto Zambelli acionará Justiça contra senadores da CPI da covid-19

Zambelli acionará Justiça contra senadores da CPI da covid-19

Parlamentar é contra casos legais de suspeição ou impedimento. Há acordo para Renan Calheiros assumir a relatoria da comissão

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, deputada Carla Zambelli (PSL-SP)

Na imagem, deputada Carla Zambelli (PSL-SP)

Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Aliada do presidente Jair Bolsonaro, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) protocolará ação na Justiça Federal contra senadores da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid-19 que se enquadrem nos casos legais de suspeição ou impedimento.

A comissão no Senado Federal investigará supostas omissões do governo federal no combate à pandemia de covid-19 e também os repasses de verbas federais aos Estados e Municípios.

A expectativa é de que os membros da CPI se reúnem na próxima quinta-feira (22) para o primeiro encontro do colegiado. Na ocasião, serão eleitos presidente, vice-presidente e o relator - há acordo para que os cargos sejam distribuídos, respectivamente, para Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Renan Calheiros (MDB-AL).

Zambelli informou que acionará a Justiça contra senadores alvos de casos legais de suspeição ou impedimento. De acordo com a assessoria de imprensa da parlamentar, Calheiros é um deles - a área jurídica prepara a peça na tarde desta segunda-feira (19). Inicialmente, a ação seria protocolada no STF (Supremo Tribunal Federal), mas, depois, mudou para a Justiça Federal.

Diante do acordo sobre os cargos da comissão, aliados do presidente Bolsonaro lançaram uma campanha nas redes sociais contra Calheiros na relatoria da CPI, uma vez que o senador é crítico ao governo federal e pai do governador de Alagoas, Renan Filho.

São os casos de Zambelli e da colega de bancada Alê Silva (PSL-MG). "Se a CPI vai investigar os repasses da União a estados, tem sentido o possível relator ser PAI de um dos governadores?", questionou Zambelli.

Em nota, a assessoria de imprensa de Calheiros afirmou que o "senador Renan não entende os ataques digitais a ele, que se repetem em várias ocasiões e tem a participação massiva de perfis fakes e robôs".

"Renan  já anunciou que se for confirmado relator, indicará subrelatores sobre os diferentes temas e não tomará qualquer decisão monocrática. Renan tem afirmado e defendido investigação ampla, que inclua qualquer agente público que possa ter sido responsável pela má gestão da crise e as milhares de vidas perdidas", finalizou.

Últimas