A justificativa do DJ Ivis sobre a agressão e o ciclo de violência

Músico tentou explicar os vídeos que mostram ele batendo na ex-mulher, Pamella Holanda

Parecia um vídeo de filme de terror, mas era vida real. Pamella Holanda, de 27 anos, divulgou, no último domingo, imagens em que aparece sofrendo agressões físicas do então companheiro, Iverson de Souza Araújo, mais conhecido como DJ Ivis.

De acordo com a publicação, no dia 1º de julho, Ivis teria agredido e estrangulado a jovem, além de ameaçá-la com uma faca. Depois da repercussão do caso, as pessoas passaram a questionar por que ele não foi preso pelo crime de violência contra a mulher.

"Conforme informado pela polícia, os fatos ocorreram no dia 1º de julho, todavia, Pamella apenas fez a ocorrência no dia 3, onde já não existia a situação de flagrante delito. O flagrante do crime precisa acontecer no momento da agressão ou pouquíssimo tempo depois. Com relação a condenação, estamos ainda na fase de investigações, mas, com certeza, ele responderá por todas as lesões que provocou", explica o advogado criminalista, Marcus Mangini.

DJ Ivis se pronunciou nas redes sociais e justificou as agressões contra Pamella

DJ Ivis se pronunciou nas redes sociais e justificou as agressões contra Pamella

Reprodução / Record TV

A culpa é sempre do outro

Algumas consequências que o músico já sofreu envolvem sua carreira artística, já que ele perdeu contratos e também o apoio de famosos. Até mesmo emissoras de rádio estão retirando as músicas do DJ Ivis de suas programações. Assim, ele se manifestou nas redes sociais e tentou explicar o ocorrido. "(...) As pessoas vão me julgar, mas eu não aguentava mais isso. Recebi chantagem de ameaça de morte com ela segurando a minha filha. Ninguém sabe o que é isso que eu passei, de querer se jogar com minha filha do décimo andar".

Ele também alegou ser inocente e afirmou que apenas reagiu a um comportamento doentio de Pamella. Mas, para a psicóloga Aline Saramago, independentemente do que tenha acontecido, colocar a culpa das próprias ações no outro é uma forma consciente, ou inconsciente, de tentar tirar a responsabilidade de si pelas próprias ações.  "Considero que os meios realmente não justificam os fins, pois se trata de um adulto, com recursos para buscar ajuda no caso de dificuldades de relacionamento, emocionais, comportamentais etc".

O DJ Ivis chegou a entrar na justiça para impedir Pamella de expor os vídeos das agressões ou de falar sobre ele na imprensa, o que foi negado. "O fato é: Ivis tentou justificar o injustificável. Ele agrediu uma mulher e deve arcar com as consequências de suas atitudes. Um erro não justifica outro e buscar impedi-la de falar é mais uma tentativa de não assumir seu erro", observa a psicóloga Elisângela Lacerda.

Além do agressor, os especialistas explicam que a vítima também tende a justificar os abusos, acreditando, na maioria dos casos, que fez algo de errado que influenciou o comportamento violento do parceiro.

Reprodução

Marcas além do corpo

Outro fato que chamou atenção nos vídeos divulgados foi a presença da filha do casal, Mel, de apenas 9 meses. "Crianças que presenciam momentos de violência podem desenvolver traumas como: atraso no desenvolvimento cognitivo e emocional, agressividade, problemas de relacionamento, entre outros. Traumas esses que, se não tratados, podem acarretar em diversas dificuldades na vida adulta", acrescenta Elisângela.

Por isso, em briga entre homem e mulher se mete a colher sim. Todo caso de violência deve ser denunciado e acolhido, tanto pela justiça quanto pela sociedade. Porque, além de buscar ajudar a vítima, temos que proteger as crianças que presenciam a violência dentro de casa e vão levar cicatrizes para o resto da vida.

Apesar das dificuldades, o Brasil está avançando no combate a esse tipo de violência. Em todo o país, as denúncias podem ser feitas gratuitamente pelo número 180. Todo ato de agressão doméstica e familiar contra a mulher é crime e precisa ser exposto.

Últimas