Refletindo Sobre a Notícia por Ana Carolina Cury Após pedido inusitado, chef realiza desejo de mulher com doença terminal

Após pedido inusitado, chef realiza desejo de mulher com doença terminal

Ele viajou seis horas para poder levar alguns minutos de alegria à cliente de seu restaurante. Gesto lindo que deixa lições importantes

Parecia ser mais uma quinta-feira comum de trabalho para Steve Chu, dono de dois restaurantes de comida asiática na cidade de Baltimore, nos Estados Unidos. Mas, aquele dia não seria igual aos outros, porque um e-mail não só mudaria a forma dele ver a vida, como também provaria que seu trabalho vai além do interesse comercial.

Dito e feito. Na mensagem recebida, um rapaz chamado Brandon Jones, morador de outra cidade, Vermont, pediu a receita do famoso tempurá de brócolis. A sogra dele é fã desse prato que Steve Chu serve em seus restaurantes, mas, como ela está lutando contra um câncer terminal, não pode sair de casa, muito menos viajar. Assim, o genro queria fazer uma surpresa e cozinhar para ela, mas precisava da orientação de Chu.

Após receber e-mail, chef se comove e decide viajar para realizar desejo de cliente

Após receber e-mail, chef se comove e decide viajar para realizar desejo de cliente

Reprodução / Majically

Para surpresa de Jones, o dono dos restaurantes não apenas respondeu o e-mail como também decidiu ir pessoalmente à casa deles para preparar o tempurá. "Obrigado por entrar em contato. Gostaríamos de conhecê-los pessoalmente em Vermont para servir um tempurá fresquinho para sua sogra", respondeu o chef.

Ao site americano Majically News, o genro contou que ficou surpreso e comovido com a atitude de Steve Chu. "Respondi o e-mail, dizendo: 'Você sabe que estamos falando de Vermont, certo?' E lembrei: 'É uma viagem de seis horas'. Mas, Chu afirmou: 'Sim, sem problemas. Diga-nos o endereço e estaremos lá'".

Retorno inesperado

Quando soube que toda vez que a sogra de Jones visitava a cidade de Baltimore fazia questão de ir em seu restaurante para comer o tempurá de brócolis, Steve Chu ressaltou que tinha obrigação de retribuir tamanho carinho da cliente fiel.

E assim aconteceu. No dia 12 de março, ele viajou seis horas até Vermont, com seu sócio. Quando chegaram à casa de Jones, Chu e o sócio abriram a carroceira da caminhonete e começaram a cozinhar ali mesmo, surpreendendo toda a vizinhança. "Ela ficou extremamente emocionada e feliz", afirmou o genro.

Depois que essa história viralizou nas redes sociais, os restaurantes de Steve Chu ganharam muitos clientes novos que não pouparam elogios à sua atitude.

Mais que gentileza

Essa linda história me fez refletir a respeito da importância do bom atendimento ao cliente. Quantas vezes procurei um serviço que parecia ser ótimo, mas por conta do péssimo atendimento, deixei de realizar a compra.

Após atitude gentil e humana, novos clientes passaram a lotar de pedidos os restaurantes de Steve Chu

Após atitude gentil e humana, novos clientes passaram a lotar de pedidos os restaurantes de Steve Chu

Reprodução / Majically

Em outras ocasiões, me tornei cliente fiel de lugares que nem pareciam ser tão bons, mas a atenção dos atendentes fez com que eu mudasse de opinião.

Infelizmente, ser bem atendido é raridade atualmente. Então, Chu deixa essa dica valiosa e gratuita, porque não basta dizer "volte sempre" se o atendimento não for eficaz.

Em qualquer ramo, o atendimento é determinante para os resultados. Empresas que não se preocupam com o cliente estão fadadas ao fracasso.

Amor ao próximo

Mas, nesse caso, o chef fez muito mais do que atender bem uma cliente. Ele também mostrou, com esse gesto, que se compadece com a dor do outro. Esse é outro ponto muito importante, saber se colocar no lugar do próximo, afinal, generosidade não tem interesse.

Então, talvez você não tenha que lidar com clientes, mas pode ser que ignore o sofrimento alheio.

É claro que nem sempre há como ajudar a resolver um problema que não é nosso, mas o que Chu fez é um ótimo exemplo para guardarmos em mente, afinal, é preciso aprender a amar ao próximo, tratá-lo com respeito e consideração, independentemente de sua posição, classe social, raça ou religião.

Se as mazelas da sociedade não nos incomodam, com certeza há algo errado conosco, com o nosso interior, uma vez que o verdadeiro amor não procura os próprios interesses, mas se doa e estende a mão para quem precisa, seja quem for.

Últimas