Ric Mais Em Curitiba, líderes do BRICS pedem cooperação mais intensa entre os países

Em Curitiba, líderes do BRICS pedem cooperação mais intensa entre os países

Os líderes do grupo dos países: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS) estiveram reunidos a capital do Paraná nos dias 14 e 15 de março

Os líderes do grupo dos países: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS) estiveram reunidos a capital do Paraná nos dias 14 e 15 de março

Ric Mais

Ric Mais

Ric Mais

Curitiba foi o centro das discussões do grupo BRICS, formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, durante os dias 14 e 15 de março. O encontro foi realizado no Salão de Atos do Parque Barigui e recebeu os líderes conhecidos como sherpas, encarregados pelos acordos entre as nações.

Entre os assuntos tratados, uma proposta de cooperação mais intensa e estruturada entre as agências de investimentos, exportações e comércio dos países do BRICS foi amplamente discutida. Esse será um dos temas levados para a XI Cúpula de presidentes, que vai ocorrer em Brasília no mês de novembro.

Brasil à frente ao BRICS

A reunião em Curitiba marcou o início da presidência de turno do Brasil à frente ao BRICS. Neste primeiro encontro de trabalho do ano foi debatido tudo o que será feito ao longo de 2019.

Entre os assuntos prioritários do Brasil estão ciência, tecnologia e inovação. Os representantes dos países também discutiram a cooperação em segurança, ações anticorrupção, contraterrorismo e ações na área da saúde.“A cooperação do grupo envolve temas que podem parecer remotos, distantes às pessoas, mas também reúne vertentes de direto e imediato interesse para todos os cidadãos que moram nos países do BRICS”, explicou o embaixador Norberto Moretti, representante do Brasil no grupo.

Conexão com o mundo

O encontro internacional do BRICS trouxe cerca de 55 representantes diplomáticos para Curitiba. “Curitiba dá um passo adicional para entrar, cada vez mais, no mapa do mundo e abrir oportunidades de cooperação com essas economias internacionais”, definiu o embaixador Moretti.