Gasolina adulterada: saiba como não cair nesse golpe!

Gasolina adulterada: saiba como não cair nesse golpe!

Abastecer o veículo é tarefa rotineira para muitos condutores brasileiros, os quais utilizam constantemente carros e motos para se locomover. Ainda que comum, em um dia qualquer, abastecer o veículo pode representar um transtorno. Os problemas enfrentados podem, inclusive, impedir o condutor de chegar ao seu destino. Como todas as peças que fazem parte do funcionamento do veículo precisam estar em perfeita ordem para que o automóvel não apresente um desempenho inadequado e não ameace a segurança das pessoas, um pequeno desequilíbrio pode ser lesivo. Com o preço elevado da gasolina, muitos condutores optam por abastecer seu veículo em postos com ofertas mais acessíveis. Mas, fique atento, pois o baixo preço da gasolina pode indicar um fator duvidoso sobre a qualidade do combustível. Embora seja considerada uma fraude, alguns postos de gasolina abastecem veículos com o produto adulterado, objetivando lucrar em cima do prejuízo do proprietário do veículo e cliente. Geralmente, para que renda mais, são adicionados, irregularmente, componentes à gasolina. Dessa forma, é possível baixar o preço e atrair a clientela. A gasolina pode ser misturada com água, etanol, óleo diesel, querosene ou solvente para borracha (SPB ou enzima industrial). Ainda que o preço seja um atrativo na hora de abastecer o veículo, os prejuízos decorrentes da fraude afetam o veículo de forma severa. Os danos podem ser observados assim que o veículo deixar o posto e começar a rodar. Quando isso acontece, surgem dúvidas sobre a atitude correta a adotar. Por isso, selecionei os principais aspectos a serem considerados caso você seja vítima do golpe. No primeiro momento em que as irregularidades no funcionamento do veículo forem detectadas pelo condutor, é importante parar e fazer uma inspeção a fim de verificar as suas condições. Para que você não corra o risco de abastecer com uma gasolina adulterada, é importante ficar atento a algumas dicas de prevenção. São elas: Desconfie de preços muito abaixo da média de valores. Pode ser um sinal duvidoso com relação a procedência do combustível. Procure abastecer nos mesmos pontos de confiança, de preferência os que apresentam bandeira branca. Caso não seja de distribuidora exclusiva, os pontos precisam informar os dados sobre o fornecimento do combustível. Em caso de dúvida, solicite o teste da proveta em qualquer posto de gasolina. O teste tem a finalidade de verificar a adulteração a partir da porcentagem de álcool concentrada na gasolina e funciona da seguinte maneira: deve-se colocar metade de água e metade de gasolina em um recipiente de 100 ml. O etanol mistura-se com a gasolina, ao contrário da água. Então, basta observar se o líquido transparente, referente à mistura de etanol com água, atinge a quantidade adequada de 10 ml. Em caso positivo, a porcentagem está ideal. Caso o líquido ultrapasse os 10 ml, significa que o combustível sofreu alteração. Danos Quando o veículo é abastecido com combustível adulterado, os prejuízos são percebidos em inúmeras peças, e o motor pode ser o primeiro a apresentar falhas perceptíveis. As falhas resultam da mistura pobre de ar/combustível, ou seja, quando há muito ar para pouco combustível. Como não há equilíbrio entre esses dois componentes que formam a combustão, o motor “engasga”, perde o desempenho e as peças passam a sofrer desgastes. Vou listar alguns dos problemas que podem surgir. Fique atento! Entupimento da bomba de gasolina: a bomba de gasolina conduz o combustível até o motor, portanto, se estiver entupida o motor perde a capacidade de funcionar corretamente. Acúmulo de resíduos na parte interna do motor: a queima do combustível adulterado forma resíduos que se ocupam do espaço de movimentação das peças móveis do motor, prejudicando suas articulações. Falhas no escapamento: quando expele água em excesso. Consumo excessivo do combustível: em caso de adulteração, o consumo do combustível aumenta. Outro problema preocupante é devido ao escapamento acabar aumentando a emissão de gases poluentes, fator extremamente prejudicial à saúde. Para que haja equilíbrio e o motor funcione adequadamente, é preciso seguir a medida ideal de cada um dos componentes. Para ser considerada de qualidade confiável, a gasolina precisa apresentar alta octanagem, ou seja, ser resistente à compressão da gasolina. Quanto mais resistente à compressão sem sofrer explosão, mais qualidade. As explosões desregulam o motor e afetam a potência do veículo. Posso denunciar? Caso haja suspeita de fraude, de acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), é possível fazer a denúncia, mas para denunciar é preciso informar o CNPJ do posto. Também auxilia informar o endereço e o nome da distribuidora fornecedora do combustível. Mesmo que a denúncia não seja suficiente para comprovar o ocorrido, ela é importante na soma de dados para ajudar a direcionar as ações de fiscalização no país, a fim de evitar as fraudes. Adulterar combustível é crime e o consumidor tem todo o direito de reivindicar seus direitos pelos prejuízos sofridos. A denúncia pode ser realizada pela ligação gratuita para o número 0800 970 0267, ou por meio de formulário que você encontra disponível no site da ANP. De que provas preciso para comprovar os danos sofridos? O primeiro passo é procurar um mecânico para realizar uma avaliação da situação do veículo. Solicitar um laudo técnico que apontará se os problemas são decorrentes da má qualidade do combustível e quais foram os danos percebidos. Ter em mãos a nota fiscal também é muito importante para comprovar que o veículo foi abastecido em determinado posto. Por isso, exija sempre a emissão de nota fiscal. Comprovada a adulteração, é de responsabilidade do posto de gasolina arcar com os gastos e danos sofridos.  Veja também: