Rio de Janeiro Anestesista acusado de estuprar grávida será julgado pela Justiça do Rio a partir do próximo dia 12 

Anestesista acusado de estuprar grávida será julgado pela Justiça do Rio a partir do próximo dia 12 

Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante após ter sido filmado ao abusar de uma mulher durante o trabalho de parto

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo*, do R7

Acusado de estuprar grávida durante parto, Giovanni Bezerra está preso desde julho

Acusado de estuprar grávida durante parto, Giovanni Bezerra está preso desde julho

Reprodução/Record TV Rio

A Justiça do Rio de Janeiro começa, no próximo dia 12, o julgamento do anestesista Giovanni Quintella Bezerra, acusado de estuprar uma paciente enquanto ela passava por um trabalho de parto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, em julho deste ano.

No dia marcado, será realizada a primeira audiência de instrução de julgamento sobre o caso, que tramita em segredo de Justiça, segundo o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro).

Giovanni está preso desde o dia 10 de julho, quando foi detido em flagrante pelo crime, cometido no Hospital da Mulher, em Vilar dos Teles. Uma câmera escondida na sala de parto por enfermeiras que suspeitavam da conduta do médico registrou a violência sexual.

As investigações da Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de São João de Meriti revelaram que o anestesista utilizou sedativos em quantidades superiores às recomendadas, para deixar a vítima desacordada durante a cesariana.

O vídeo mostra o acusado passando sua genitália pelo rosto e pela boca da paciente. Depois do ato, ele limpa a mulher com pedaços de gaze.

Após a descoberta do caso, outras mulheres alegaram ter sido abusadas por Giovanni. A Deam passou a investigar, ao menos, 30 possíveis vítimas do médico em outros hospitais.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas