Rio de Janeiro Após passar um ano na cadeia, ex-governador Pezão é solto no Rio

Após passar um ano na cadeia, ex-governador Pezão é solto no Rio

Preso desde o dia 29 de novembro de 2018, Luiz Fernando Pezão ainda terá que cumprir medidas cautelares

pezão

Pezão deixou Batalhão Especial Prisional, em Niterói

Pezão deixou Batalhão Especial Prisional, em Niterói

Marcelo Fonseca/Estadão Conteúdo - 29.11.2018

Luiz Fernando Pezão foi solto nesta quarta-feira (11), após o STJ (Superior Tribunal Federal) revogar a sua prisão. Preso desde o dia 29 de novembro de 2018, o ex-governador do Rio de Janeiro terá que cumprir medidas cautelares.

Pezão saiu do Batalhão Especial Prisional, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, nesta noite. A prisão foi revogada na terça-feira (10), mas a Polícia Militar, responsável pelo presídio, informou que não tinha sido comunicada oficialmente da decisão para realizar a soltura no mesmo dia.

Leia mais: Em três anos, Rio de Janeiro tem 5 ex-governadores presos

Entre as medidas cautelares, estão o comparecimento em juízo, monitoramento eletrônico, não se ausentar do Estado, e não manter contato com outros réus.

Pezão foi preso em 29 novembro de 2018 durante a operação Boca de Lobo. De acordo com as investigações, o governador recebia mesada de R$ 150 mil quando era vice de Cabral, entre 2007 e 2014. O delator ainda detalhou o pagamento de 13º de propina e de bônus ao político. A PGR (Procuradoria-Geral da República) alega que Pezão recebeu mais de R$ 25 milhões, em espécie, entre 2007 e 2015 em propina.

Segundo a defesa do ex-governador, "o STJ foi prudente, mas não há indicadores de que Pezão tenha participado ativamente desse esquema ou se beneficiado".

Ex-governadores presos

O casal Anthony e Rosinha Garotinho, Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão e Moreira Franco, todos estiveram a frente do Executivo do Rio de Janeiro e já foram presos. O único que cumpre pena é Sérgio Cabral. Dos ex-governadores que estão vivos, apenas Nilo Batista (ex-PDT), vice de Leonel Brizola, Benedita da Silva (PT), vice de Garotinho, e Francisco Dornelles (PP), vice de Pezão, não foram presos.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa