Rio de Janeiro Bombeiro que atropelou e matou ciclista na zona oeste do Rio é condenado a sete anos de prisão

Bombeiro que atropelou e matou ciclista na zona oeste do Rio é condenado a sete anos de prisão

João Maurício Passos dirigia sob efeito de álcool quando causou a morte de Cláudio Leite da Silva no Recreio, em 2021

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo*, do R7

Cláudio tinha 57 anos

Cláudio tinha 57 anos

Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro condenou, nesta quinta-feira (30), o capitão do Corpo de Bombeiros João Maurício Correia Passos a sete anos, nove meses e dez dias de prisão pelo atropelamento e morte do ciclista Cláudio Leite da Silva, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da capital, em janeiro de 2021.

A sentença, que deve ser cumprida inicialmente em regime fechado, foi proferida pela juíza Luciana Fiala de Siqueira Carvalho, que também determinou a perda do cargo público do bombeiro e a proibição da permissão ou habilitação de João Maurício para dirigir veículo automotor.

O bombeiro teve a pena aumentada em razão de ter causado o acidente enquanto conduzia o carro sob influência de bebidas alcoólicas, segundo a Justiça. A magistrada considerou que o "uso nocivo de álcool" era incompatível com a profissão de João Maurício.

O réu, que não prestou socorro à vítima, havia alegado que não o fez por estar em surto alcoólico. No entanto, a juíza avaliou que o bombeiro "era inteiramente capaz de entender o caráter criminoso do fato".

A magistrada também rejeitou o resultado de um laudo produzido por uma perita contratada pela defesa de João Maurício, afirmando que seria uma prova unilateral sem capacidade de substituir os laudos técnicos oficiais já anexados ao processo.

Cláudio Leite da Silva, de 57 anos, morreu após ser atropelado enquanto andava de bicicleta na manhã do dia 11 de janeiro de 2021, na avenida Lúcio Costa, na orla do Recreio dos Bandeirantes. Ele era ciclista profissional.

Segundo testemunhas, João Maurício estava bebendo em um posto de gasolina, saiu conduzindo um veículo e atropelou a vítima. Depois do crime, fugiu a pé sem prestar socorro.

O bombeiro foi preso em flagrante na casa de um amigo, no mesmo bairro. Garrafas de bebidas alcoólicas foram encontradas no veículo que ele abandonou.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas