Morte de Marielle Franco

Rio de Janeiro Brasil terá atos em memória da vereadora Marielle Franco

Brasil terá atos em memória da vereadora Marielle Franco

Polícia investiga o caso como execução; Vereadora era militante e defensora dos direitos humanos e denunciava violações da PM

  • Rio de Janeiro | Odair Braz Junior, do R7

A vereadora Marielle, morta nesta quarta (14), no Rio

A vereadora Marielle, morta nesta quarta (14), no Rio

Mário Vasconcellos/CMRJ

Várias manifestações estão marcadas para esta quinta (15) para celebrar a memória e também para protestar contra a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada na noite desta quarta (14), no Rio de Janeiro. Veja a agenda:

SÃO PAULO

IFCS – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais - 9h

MASP - 17h

SALVADOR
Tenda Sem Medo no Fórum Social Mundial - 10h

BRASÍLIA

Anexo II da Câmara dos Deputados - 11h

RIO DE JANEIRO

ALERJ - 17h

BELO HORIZONTE

Praça da Estação - 17h

RECIFE

Câmara dos Vereadores - 16h

CURITIBA

Prédio Histórico da UFPR - 18h30

NATAL

PSOL Natal - 17h

A polícia investiga o caso como execução. Marielle foi morta numa emboscada quando saia do evento Jovens Negras Movendo Estruturas, no bairro da Lapa. Um carro emparelhou ao lado do veículo de Marielle e fez várias disparos. A vereadora, que estava sozinha no banco de trás, foi atingida por quatro tiros na cabeça.

Anistia Internacional pede investigação rápida e rigorosa

O motorista de Marielle, Anderson Pedro Gomes, foi atingido pelos disparos e não resistiu aos ferimentos. A assessora da vereadora, que também estava no carro, levou um tiro de raspão e sobreviveu ao atentado. Ela prestou cinco horas de depoimento.

Para a polícia, os suspeitos sabiam exatamente a posição da vereadora dentro do veículo, portanto, foi um crime planejado e pensado anteriormente. Marielle estava no banco de trás. Anderson e a assessora estavam no banco da frente.

Veja a trajetória de Marielle:

Últimas