Cariocas comemoram a prisão do ex-governador Sérgio Cabral nas ruas

População aplaudiu carro da PF que conduziu político no percurso até a penitenciária

Cariocas comemoram a prisão do ex-governador Sérgio Cabral nas ruas

População lotou viadutos da avenida Brasil para acompanhar comboio que levava Cabral para penitenciária de Bangu

População lotou viadutos da avenida Brasil para acompanhar comboio que levava Cabral para penitenciária de Bangu

Os cariocas comemoraram a prisão do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) que foi levado para o Complexo de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio, na tarde desta quinta-feira (17). Na sede da PF (Polícia Federal), no centro, um grupo de pessoas aplaudia os agentes toda vez que uma viatura saia do local.

Cabral já estava a seis horas na sede da corporação, quando um grupo de bombeiros apareceu com panos na cabeça em referência ao encontro do ex-governador com outros políticos e o dono da construtora Delta, Fernando Cavendish, em 2009. Na época, eles usaram guardanapos para comemorar um jantar em um hotal de Paris, na França.

Cabral deixou a sede da PF pouco antes das 17h30 em direção ao IML (Instituto Médico Legal). Na saída, a viatura que levava o político foi cercada por aproximadamente 20 pessoas, que gritavam palavras de ordem contra o ex-governador — o mais comum foi um coro de "ladrão", mas o grupo gritou até "cadê o Amarildo?", numa referência ao ajudante de pedreiro torturado e morto por policiais em julho de 2013.

Leia também:

Cabral cobrava mesada de até R$ 500 mil por mês de empreiteira, diz MPF

Alerj: em segundo dia de discussões, deputados criticam Cabral e rechaçam aumento de contribuição previdenciária

Após o exame de corpo de delito, o ex-governador seguiu para o presídio em Bangu. O comboio seguiu lentamente pela avenida Brasil devido ao congestionamento. Durante o percurso até a penitenciária, o carro que conduziu Cabral foi aplaudido por populares. 

Imagens do helicóptero da TV Record também registraram um grande número de pessoas nos viadutos da avenida Brasil acompanhando trajeto do político até o complexo penitenciário. As reações da população à prisão de Cabral começaram logo pela manhã, quando manifestantes tentaram agredir o peemedebista.

Assista ao vídeo:

Prisão preventiva

A polícia foi até a casa do ex-governador por volta das 6h, no Leblon, zona sul. O peemedebista é suspeito de receber propina em troca da concessão de obras públicas, como a reforma do Maracanã e a construção do Arco Metropolitano por exemplo.

O ex-governador foi preso na Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato que investiga o desvio de recursos públicos federais em obras realizadas pelo governo do Estado. A apuração inicial estima um prejuízo de mais de R$ 220 milhões.

A prisão de Cabral é fruto de um dos dez mandados de prisão (oito preventivos e dois temporários) expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro. O magistrado também determinou 38 buscas e apreensões e 14 conduções coercitivas.

Ao mesmo tempo, os 230 policiais federais envolvidos na ação também cumprem 14 mandados de busca e apreensão, dois mandados de prisão preventiva e um de prisão temporária expedidos pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR).