Caso Henry

Rio de Janeiro Caso Henry: Jairinho e Monique pagaram empresa para gerir crise 

Caso Henry: Jairinho e Monique pagaram empresa para gerir crise 

Casal contratou empresa para melhorar sua imagem após a morte do menino; Jornal da Record teve acesso a mensagens

  • Rio de Janeiro | Rael Policarpo, da Record TV

O Jornal da Record teve acesso a novas conversas entre o ex-vereador Jairinho e Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, dias após a morte do menino. O casal contratou uma equipe para tentar conter a repercussão do caso.

Eles queriam sensibilizar a opinião pública e estavam dispostos a pagar por isso: R$ 49 mil. Esse foi o valor que uma empresa de gestão de crise, contratada pelo ex-parlamentar Jairinho, cobrou para mudar a imagem do casal após a repercussão da morte de Henry Borel, de 4 anos.

Jairinho e Monique são acusados de matar o menino Henry Borel

Jairinho e Monique são acusados de matar o menino Henry Borel

Reprodução/Record TV Rio

O pacote incluiu oito profissionais, que prometeram ajudar o casal a lidar com a situação. O acordo foi fechado por R$ 28 mil. A empresa criou uma página em uma rede social usando o nome de Henry.

Os assessores pediram a Monique que enviasse fotos com o filho e contasse sobre passeios que fez com a criança, em uma tentativa de dar credibilidade ao trabalho.

Na época, o conteúdo da página não agradou ao ex-parlamentar.

Henry, filho de Monique, foi morto aos 4 anos

Henry, filho de Monique, foi morto aos 4 anos

Reprodução/Record TV

“Por que a gente está se defendendo? Essa página também é Justiça por Henry, entendeu? É desse jeito. Tem que entrar na cabeça das pessoas”, escreveu Jairinho. “A gente está em busca de justiça também, essa tem que ser a tônica. Não pode ficar em posição de defesa.”

A contratação da empresa de gestão de crise ocorreu em 31 de março, 22 dias após a morte do menino.

No entanto, a construção da imagem de um casal que vivia em perfeita harmonia começou bem antes, poucos dias depois do enterro de Henry.


O Jornal da Record teve acesso a conversas entre Jairinho e Monique que mostram os bastidores desse plano.

As mensagens revelam um marido que tenta convencer Monique a não se afastar. Elas contêm frases como “Você é uma mulher fantástica”, “Todo o meu coração de corpo e alma para você”, “Nós temos que ficar juntos”.

Mas a união parece desmoronar quando Monique diz que recebeu o laudo do Instituto Médico Legal. Jairinho não reagiu. E, 48 horas depois, a mãe de Henry disse que iria procurar outro advogado, porque os profissionais já contratados só defenderiam o ex-vereador.

“Vou procurar outro advogado. Sabe por quê? Porque ele é o seu advogado, e não o meu. Se for pra defender alguém, será você, não a mim”, escreveu Monique.

Jairinho tentou resistir. “Me liga aqui, vamos tomar as decisões juntos”, respondeu.

Nesta quinta-feira (28), os advogados de Jairinho solicitaram o adiamento do julgamento de mais um pedido de habeas corpus. O casal está preso e responde por homicídio duplamente qualificado, tortura, fraude processual e coação de testemunhas.

Últimas