Caso Henry

Rio de Janeiro Caso Henry: reconstituição no apartamento será nesta quinta (1º)

Caso Henry: reconstituição no apartamento será nesta quinta (1º)

A mãe da criança, a professora Monique Medeiros, e o padrasto, vereador Dr. Jairinho, participarão da simulação

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento, do R7 *

Está prevista para esta quinta-feira (1º), às 14h, uma reconstituição no apartamento onde o menino Henry Borel, de 4 anos, foi encontrado morto no último dia 8. Devem participar a mãe e o padastro da criança, o casal Monique Medeiros e Dr. Jairinho, além de peritos, bombeiros e policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca), onde o caso é investigado. Um boneco será levado para representar a criança.

Boneco representará Henry durante a simulação

Boneco representará Henry durante a simulação

Divulgação/ Corpo de Bombeiros

De acordo com fontes ligadas à investigação, os advogados do pai da vítima, o engenheiro Leniel de Almeida, analisaram o laudo de perícia logo após a morte e ouviram nove peritos independentes.

Um dos nove peritos sugeriu a exumação do corpo de Henry, mas a defesa não vê necessidade. O procedimento não é totalmente descartado, já que o delegado pode pedir, se julgar necessário.

As fontes informaram também que a partir da análise dos peritos independentes, foi encaminhada uma peça ao delegado responsável pela investigação, Henrique Damasceno, com quesitos complementares para que o perito que fez o laudo inicial esclareça determinados pontos ainda em dúvida. Não há um prazo para que o perito responda.

Caso Henry: Polícia Civil faz nova perícia em apartamento

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) apontou hemorragia, laceração hepática e múltiplas lesões no corpo de Henry, mas a mãe e o padrasto defendem que a causa da morte se deu por um um acidente doméstico.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Celso Fonseca 

Últimas