Rio de Janeiro Castro se reúne com políticos de Caxias após morte de 3º vereador

Castro se reúne com políticos de Caxias após morte de 3º vereador

Governador do RJ e secretário da Polícia Civil participam de encontro que deverá tratar de recentes ataques ao Legislativo

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, se reúne com os vereadores e o prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, além do secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski, na tarde desta quinta-feira (14). O encontro deve tratar das investigações sobre o assassinato do vereador Alexsandro Silva Faria, mais conhecido como Sandro do Sindicato, na quarta (13). Ele foi o terceiro vereador do município morto em 2021.

Sandro do Sindicato foi o 3º vereador  de Caxias morto em 2021

Sandro do Sindicato foi o 3º vereador de Caxias morto em 2021

Reprodução

Na quarta (13), os vereadores de Caxias se encontraram para discutir os ataques recentes contra membros do Legislativo.

O presidente da Casa, Celso do Alba (MDB), informou que enviaria ofícios ao governador Cláudio Castro e ao Ministério Público solicitando o acompanhamento dos casos, que, até o momento, não foram esclarecidos.

Além de Sandro do Sindicato, outros dois vereadores de Caxias foram assassinados em um intervalo de dez meses. Em setembro, Joaquim José Quinze Santos Alexandre, o Quinzé, foi atacado a tiros. Em março, Danilo Francisco da Silva, o Danilo do Mercado, foi encontrado morto ao lado do filho, Gabriel da Silva, de 25 anos. 

Com o objetivo de ajudar o trabalho da polícia, o Portal dos Procurados divulgou um cartaz para pedir informações que levem à identificação e à prisão de envolvidos na morte de Sandro do Sindicato. A investigação é conduzida pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense.

Até o momento, o que se sabe é que o vereador dirigia uma van quando foi atacado por criminosos. O corpo dele foi encontrado dentro do veículo, ao lado do qual a polícia localizou cápsulas de fuzil.

Sandro, que era montador de estruturas metálicas, foi eleito no ano passado para o primeiro mandato. Os familiares disseram acreditar que o vereador tenha sido executado, apesar de não terem informações sobre ameaças contra ele.

Últimas