Por ano, 3 agentes do Degase são mortos no Rio

Imagens de um vídeo feito por um agente socioeducativo do Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas) na Penha, zona norte do Rio, flagraram o momento em que menores saem correndo para fugir do fogo que tomou as galerias do local. Segundo o presidente do sindicato dos servidores do Degase João Luiz Pereira, o espaço que, por lei federal, deveria ser ocupado por 90 menores. Na unidade Educandário Santo Expedito, em Bangu, existem quase 500 internos. Ainda de acordo com ele, outras unidades também estão superlotadas e em um completo estado de abandono e precariedade. De acordo com o Sindicato, no Estado são aproximadamente 1.500 agentes do Degase, com uma média anual de 3 mortos. Este ano, 3 agentes foram mortos até o momento. O novo Degase esclareceu que garante atendimento a todos os jovens que cumprem medidas socioeducativas. Em relação às vagas, o Degase afirmou que a Procuradoria Geral do Estado é a responsável pelo caso.