Rio de Janeiro Cinco crianças são encontradas abandonadas em casa no Rio

Cinco crianças são encontradas abandonadas em casa no Rio

Segundo denúncias, as vítimas estavam sozinhas há duas semanas e sofriam maus-tratos; pais são procurados pela polícia

  • Rio de Janeiro | Ana Beatriz Araújo, do R7*, com Record TV Rio

Cinco crianças foram encontradas abandonadas em uma casa em Guaratiba, na zona oeste do Rio, nesta segunda-feira (8). As vítimas são dois meninos gêmeos, de 4 anos, uma menina de 5 anos, um menino de 6 anos e um de 10 anos. 

Crianças estavam sozinhas há cerca de duas semanas

Crianças estavam sozinhas há cerca de duas semanas

Reprodução/Record TV Rio

Os agentes chegaram até o local através de denúncias feitas pelos vizinhos. Segundo eles, os irmãos estavam sozinhos há cerca de duas semanas e sofriam maus-tratos. 

Rio: Polícia encontra cemitério clandestino durante operação

Ainda de acordo com as denúncias, os menores faziam as refeições no chão da residência e eram praparadas pela criança mais velha. Eles foram retirados pela janela do imóvel e entregues ao Conselho Tutelar. 

Em depoimento à polícia, o menino teria relatado que a mãe saiu de casa, alegando que iria passear, mas nunca mais voltou. 

"Eles passaram situações de riscos dentro da residência, porque não tinha um adulto responsável há dias.", disse o delegado Adilson Palácio.

O delegado afirmou ainda que a mãe costumava deixar as crianças sozinhas, mas nunca por um período de tempo tão longo. Ela teria aproveitado que o menino de 10 anos, que mora em São Paulo com o pai, estava no local para deixá-lo tomando conta dos irmãos.

"Só não aconteceu uma tragédia, porque o menino de 10 anos estava tomando conta dos irmãos, mas ele só está aqui durante um período. Isso é traumatizante para uma criança!", disse Palácio. 

O caso foi registrado como abandono de incapaz. A polícia procura identificar e localizar os pais das crianças. Os parentes serão ouvidos na delegacia ainda esta semana. 

Os irmãos foram levados para um abrigo em Guaratiba, onde serão acompanhadas por equipes do Conselho Tutelar e do Ministério Público. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas