Rio de Janeiro Com 15 anotações criminais, adolescente suspeito de matar médico teve primeira apreensão aos 12 anos

Com 15 anotações criminais, adolescente suspeito de matar médico teve primeira apreensão aos 12 anos

Menor foi detido na comunidade do Mandela, na zona norte do Rio

Com 15 anotações criminais, adolescente suspeito de matar médico teve primeira apreensão aos 12 anos

O menor de idade apreendido suspeito de matar o médico Jaime Gold na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro, já tem 15 anotações criminais, sendo cinco por crimes praticados com faca. Segundo a DH (Divisão de Homicídios), o adolescente de 16 anos teve a primeira anotação criminal aos 12 anos por roubo na Lagoa em 2010.

Segundo a polícia, o garoto atuava na região do Leblon e Ipanema, zona sul. Na manhã desta quinta-feira (21), ele foi apreendido na comunidade do Mandela, em Manguinhos, zona norte.

Gold, que foi esfaqueado enquanto pedalava na noite de terça-feira (19), foi sepultado na manhã desta quinta (21) no Cemitério Israelita do Caju, região portuária. Os pais e a filha do médico chegaram ao local, mas não quiseram falar com a imprensa. Abalada, a namorada de Gold também foi ao sepultamento.

O médico cardiologista foi encontrado próximo à curva do Calombo por pedestres que ajudaram no socorro e chamaram os bombeiros. Ele teria sido abordado por dois menores de idade armados com facas e foi ferido mesmo sem reagir. Segundo a DH, uma testemunha relatou que os adolescentes já chegaram esfaqueando a vítima.

A vítima levou três facadas no abdome. A bicicleta e documentos foram levados pelos suspeitos. Ele foi encaminhado ao hospital, onde passou por uma cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.

No próximo domingo (24), uma passeata está programada para protestar contra a falta de segurança para os ciclistas e frequentadores da Lagoa Rodrigo de Freitas.

O secretário de segurança do Estado do Rio, José Mariano Beltrame, se pronunciou nesta quarta-feira (20) sobre o caso. Beltrame afirmou que é uma situação "inadmissível".

— Um lugar como a Lagoa não pode ser alvo desse tipo de atitude porque é um local que todos nós frequentamos e gostamos de ir, gostamos de frequentar. É um cartão postal, e não podemos admitir que ações dessa natureza aconteçam. 

Beltrame reconheceu, ainda, "dificuldades que os policiais têm de trabalhar" e garantiu que o novo comando do batalhão busca a proteção total da Lagoa Rodrigo de Freitas.

“Uma bicicleta e uma carteira por uma vida”

A filha de Gold lamentou em uma rede social a morte do pai. Estudante de psicologia, Clara Amil Gold afirmou que “não consegue compreender o que leva um ser humano a tirar uma vida, ainda mais em uma circunstância como esta”. Veja o desabafo feito por Clara:

— Pai, não há palavras para descrever o que estou sentindo. Ninguém merece sofrer o que você sofreu, tamanha violência. Mesmo estudando psicologia, não consigo compreender o que leva um ser humano a tirar uma vida, ainda mais em uma circunstância como esta. Uma bicicleta e uma carteira por uma vida. Aonde você estiver, que você encontre paz interna, que você buscava. Você foi um homem inteligente, um excelente médico. Parece que a ficha não caiu ainda, mas nós vamos sobreviver. Descansa em paz. Te amo.