Novo Coronavírus

Rio de Janeiro Comércio no Rio não respeita decreto e abre antes das 9h

Comércio no Rio não respeita decreto e abre antes das 9h

Ordem da Prefeitura foi publicada no Diário Oficial de segunda-feira (6) e começava a valer a partir desta terça-feira (7) 

Ruas têm menos movimento que o normal no Rio

Ruas têm menos movimento que o normal no Rio

Thomaz Silva/Agência Brasil

Apesar do decreto publicado na última segunda-feira (6) pela Prefeitura do Rio de Janeiro determinando a abertura do comércio às 9h a partir desta terça-feira (7), a ordem não foi seguida por alguns lojistas. 

Rio de Janeiro retoma nesta terça (7) vacinação contra a gripe

Antes das 9h, havia supermercados, hortifrutis e lojas de material de construção abertos na região do Flamengo e de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, locais percorridos pela reportagem.

De acordo com o Decreto nº 47.336, estão autorizados a abrir antes das 9h as padarias e confeitarias, farmácias e drogarias, postos de combustível e lojas de conveniência, sem consumo nas lojas, e bancas de jornal, estabelecimentos que tradicionalmente abrem mais cedo.

Em nota, a Fecomércio-RJ (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro) informa que “está consultando os representantes de diversos segmentos para avaliar os impactos da nova medida”.

Dois médicos morrem infectados com novo coronavírus no Rio

“A federação antecipa que qualquer alteração terá efeito colateral, principalmente em relação à diminuição do horário de funcionamento, como nos supermercados, locais que devem evitar aglomerações”.

A Asserj (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro) foi procurada mas ainda não tem um posicionamento sobre a questão. Segundo a Prefeitura do Rio, o objetivo da mudança nos turnos de trabalho na indústria e no comércio é evitar aglomerações no transporte coletivo.

Últimas