Caso Henry

Rio de Janeiro Conselho aprova por unanimidade relatório de cassação de Dr. Jairinho

Conselho aprova por unanimidade relatório de cassação de Dr. Jairinho

Documento vai ser votado pelo plenário da Câmara dos Vereadores na próxima quarta (30); são necessários 34 votos para cassação

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento do R7 *, com Record TV Rio

Dr. Jairinha durante sessão

Dr. Jairinha durante sessão

Reprodução/ Câmara dos Vereadores

O Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro aprovou nesta terça-feira (28), por unanimidade, o relatório do vereador Luiz Ramos Filho (PMN), que pede a cassação do vereador Dr. Jairinho, por quebra de decoro parlamentar.

O relatório vai ser votado pelo plenário da casa, na próxima quarta-feira (30). Para cassar o parlamentar são necessários 34 votos. A defesa terá duas horas para se manifestar.

“Nenhum vereador gostaria de estar aqui, julgando um caso tão triste, a morte de uma criança. O relatório foi embasado no inquérito policial, nos depoimentos das testemunhas e nas provas técnicas. Procuramos fazer um trabalho imparcial, com base nos fatos”, disse o relator Ramos Filho.

O presidente do Conselho de Ética, vereador Alexandre Isquierdo (DEM), defendeu a lisura do rito.

“Cumprimos fielmente todo o rito. Não houve cerceamento de defesa. O projeto de lei será votado na quarta-feira e a defesa poderá novamente se manifestar ”, afirmou Isquierdo.

A vereadora Teresa Bergher (Cidadania), criadora do Conselho, comemorou o resultado da votação.

“Eu só posso sentir um grande orgulho de ter apresentado o projeto que criou o Conselho de Ética, que hoje fez um trabalho excepcional, sério, correto e aprovou por unanimidade o relatório bem embasado do competente vereador Luiz Ramos Filho. O Conselho dá uma resposta ao pai desta criança e à toda a sociedade”, disse Bergher.

Denúncias


Dr. Jairinho é investigado pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos, morto no dia 8 de março no apartamento do parlamentar e da namorada, mãe da criança, Monique Medeiros. Ambos estão presos acusados de homicídio triplamente qualificado, entre outros crimes. O pai de Henry, Leniel Borel, atuará como assistente de acusação no julgamento. Jairinho também é investigado por tortura a outras duas crianças e agressão a uma ex-namorada.

*Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas