Coronavírus: morte de cônsul é investigada pela polícia no Rio

Delegacia vai ouvir familiares por videoconferência sobre denúncia de descaso em atendimento. Hospital Mar, na Barra da Tijuca, abriu apuração interna

Delegacia investiga morte de cônsul-honorário

Delegacia investiga morte de cônsul-honorário

Google Maps/Record TV Rio

A Polícia Civil confirmou nesta segunda-feira (30) que abriu uma investigação para apurar a morte do cônsul-honorário do Suriname Jorge José Gonzaléz Sebá, de 60 anos, em um hospital particular no Rio de Janeiro.

Witzel sobre pandemia: "quem desafiar será responsabilizado"

Nas redes sociais, circulam áudios, que teriam sido divulgados por familiares, em que o diplomata, internado com suspeita de novo coronavírus, acusa o Hospital Mar, na Barra da Tijuca, na zona oeste, de descaso no atendimento. Em um dos relatos, ele disse ter ficado cerca de 48 horas sem higienização. 

Em nota, a unidade de saúde informou que instaurou um procedimento interno para apurar "as responsabilidades e adotar as medidas cabíveis", após tomar conhecimento das denúncias de parentes do Sr. Jorge José González Sebá.

A delegacia responsável pelo caso é a 16ª DP (Barra da Tijuca). Segundo a Polícia Civil, investigadores estão analisando a documentação médica do paciente e devem ouvir familiares por videoconferência ainda esta semana.

O R7 tentou contato por telefone e e-mail com o Consulado Geral do Suriname no Rio de Janeiro, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.