Rocinha
Rio de Janeiro Corpo de morador morto na Rocinha é sepultado no Rio

Corpo de morador morto na Rocinha é sepultado no Rio

Antonio Ferreira da Silva, conhecido como Seu Marechal, foi baleado durante tiroteio entre policiais e criminosos na comunidade 

Corpo de morador morto na Rocinha é sepultado no Rio

Portal pede informações sobre assassino de morador

Portal pede informações sobre assassino de morador

Divulgação/Disque Denúncia

O corpo de Antonio Ferreira da Silva, conhecido como Seu Marechal, na Rocinha, será enterrado no Cemitério do Caju, zona norte do Rio, às 12h, neste sábado (24). 

O morador estava na passarela que fica em frente à comunidade, onde vendia ferro-velho e consertava eletrodomésticos, quando foi atingido por um tiro. 

Na mesma ocasião, o policial militar Felipe Santos de Mesquita, de 28 anos, também foi baleado e morreu.

Segundo a PM, as duas vítimas foram feridas após policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Rocinha serem atacados por traficantes no Largo do Boiadeiro.

Tiroteios neste sábado

Nesta manhã, foram registrados novos confrotos em diferentes pontos da Rocinha. A PM informou que sete suspeitos morreram durante o tiroteio. Com eles foram apreendidos fuzil, pistolas e granadas. 

Nas redes sociais, moradores relataram que as trocas de tiros começaram às 5h30, quando terminava um baile funk na comunidade e ocorria troca de turno de policiais. Os confrontos duraram cerca de duas horas. 

Guerra do tráfico

Desde setembro de 2017, a Rocinha é alvo de operações constantes em razão de uma guerra entre traficantes pelo controle da venda de drogas na comunidade.

Segundo o Disque Denúncia, um dos lideres da Rocinha é o traficante Leandro Pereira da Rocha, conhecido como "Bambú", de 28 anos.

Ele responde por diversos crimes como, tráfico de drogas, associação para a produção e tráfico, dano qualificado, resistência, homicídio qualificado, roubo majorado e crimes do sistema nacional de armas. Além disso, constam três mandados de prisão contra Leandro.