Novo Coronavírus

Rio de Janeiro Covid-19: fila de espera por leitos cai 79% em 20 dias no RJ

Covid-19: fila de espera por leitos cai 79% em 20 dias no RJ

Governo do Rio de Janeiro abriu 682 novas vagas na rede estadual no último mês; Espera por leitos caiu de 1033 para 216 pacientes

Resumindo a Notícia

  • Fila de espera para covid-19 diminui 79% no Estado do Rio de Janeiro
  • Governador em exercício promete a abertura de mais leitos na rede estadual de saúde
  • Governo estadual recebeu mais de 373 mil medicamentos do "kit intubação"
  • Estado marcou mais de 41 mil mortes pela covid-19 desde início da pandemia

A fila de espera de leitos para covid-19 sofreu uma redução de 79% nos primeiros 20 dias de abril no Estado do Rio de Janeiro. O número atingiu o ápice no último dia 31 de março, com 1033 pessoas aguardando por vagas na rede estadual de saúde. Porém, nesta terça-feira (20), há 216 pacientes, sendo que 176 deles esperam pela liberação de UTIs.

Durante um pouco mais de um mês, o governo estadual abriu 682 leitos para tratamento de covid-19 no SUS, sendo 387 de UTI e isso fez reduzir as filas de espera no Estado. De acordo com o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), teve início em 15 de março uma "força-tarefa" com a SES (Secretaria Estadual de Saúde) para atender as demandas que surgiram com o coronavírus.

Governador em exercício promete a abertura de novos leitos

Governador em exercício promete a abertura de novos leitos

Reprodução/Secretaria Estadual de Saúde RJ

"O trabalho em conjunto com os municípios — por meio de cofinanciamento — e com a rede federal surtiu efeito e, em poucas semanas, foram abertas mais de 600 novas vagas. Isso representa um aumento importante na oferta de leitos exclusivos para tratamento da doença. E continuamos nos esforçando para novas aberturas", prometeu o governador.

Além da abertura de leitos, o Estado recebeu mais de 373 mil medicamentos do "kit intubação", que começaram a ser distribuídos na última sexta (16). Para isso, a SES destacou o uso de helicópteros e outras logísticas para otimizar processo de distribuição.

As novas remessas de medicamentos chegaram após denúncias de que hospitais da rede estadual estariam sem os remédios para a ventilação mecânica. Com isso, os profissionais de saúde chegaram até a pedir aos familiares dos pacientes internados para comprar os sedativos necessários.

No último dia 3, também foi inaugurado um novo hospital de campanha para covid-19 no Estado: o Hospital Modular de Nova Iguaçu. O espaço abriu com metade da capacidade e oferece 150 leitos. 

"É importante deixar claro que embora estes números estejam em queda, as medidas de precaução devem ser mantidas", reforçou o médico da SVS (Subsecretaria de Vigilância em Saúde), Alexandre Chieppe. "Precisamos considerar que se trata de um vírus respiratório, que tem transmissibilidade muito facilitada e, portanto, segue sendo necessário o uso de máscara facial de proteção, higienização frequente das mãos, com água e sabão ou álcool em gel, assim como manter o distanciamento social".

Apesar das quedas nos números, a situação do coronavírus ainda é crítica em todo o país e também no Rio. De acordo com o Painel Covid-19 Coronavírus, há 84,8% de ocupação nos leitos para covid-19 nas UTIs, e 70,5%, nas enfermarias. Cerca de 41 mil moradores do Estado Rio de Janeiro morreram pela doença. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Últimas