Rio de Janeiro Crivella abre mutirão que vai operar 15 mil pacientes com catarata

Crivella abre mutirão que vai operar 15 mil pacientes com catarata

Prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 15 milhões para o programa e pretende zerar fila de espera pelo procedimento

Crivella abre mutirão que vai operar 15 mil pacientes de catarata

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, participou neste sábado (14) da abertura do mutirão de cirurgias de catarata, que beneficiará 15 mil pessoas de toda a cidade. A intenção do programa, que conta com investimento de R$ 15 milhões da prefeitura, é zerar a fila de espera pelo procedimentodos dos pacientes cadastrados no Sistema Nacional de Regulação (Sisreg) até o dia 18 de março.

Crivella aproveitou o primeiro dia de mutirão para alertar quem ainda não atualizou o cadastro.

"É um alívio enorme para a nossa população. Eu quero dizer aos pacientes que todas as clínicas credenciadas têm médicos experientes. Eles vão ser recebidos, fazer a consulta, o exame, o risco cirúrgico e depois vão para a cirurgia. Conversei com todos que já fizeram a cirurgia e estão todos muito satisfeitos. O procedimento é tranquilo, os benefícios são extraordinários. Agora, os malefícios.... se não operarmos, a catarata pode ser uma cegueira definitiva. Então, eu quero fazer um apelo aos 15 mil pacientes que estão na fila do Sisreg: vocês que se inscreveram na clínica da família ou no hospital, por favor, deem um pulinho lá, ou mandem um parente, para a gente fazer a atualização. Mudou o número de celular, mudou o endereço, nós precisamos saber, porque nós vamos chamar vocês", afirmou o prefeito, após acompanhar as primeiras cirurgias na Clínica de Cirurgia Ocular São Cristóvão (Cosc), no bairro de mesmo nome, na Zona Norte da cidade.

Estima-se que, só no Rio de Janeiro, 193 mil pessoas tenham a doença, que é a principal causa de cegueira no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Atualmente, o tempo de espera na cidade para a primeira consulta é de 300 dias.

As cirurgias do mutirão serão realizadas por clínicas da rede privada conveniadas ao SUS. Além do Cosc, vão  realizar as cirurgias o Centro de Estudos e Pesquisas Oculistas Associados (Cepoa), o Centro Médico Darke, a Clínica e Cirurgia de Olhos Drª Roberli Bicharra Pinto e Dr Mizael Pinto e a Clínica de Olhos Avenida Rio Branco.

Primeira paciente

A aposentada Leila da Silva, de 68 anos, foi a primeira a ser operada. A moradora de Padre Miguel, Zona Oeste da cidade, estava na fila de espera havia dois anos e, agora, não vê a hora de voltar a fazer duas atividades que teve de deixar de lado por causa da catarata.

"Quero muito voltar a andar de bicicleta, carregando meu netinho na garupa. Sempre fui uma pessoa muito ativa, gosto de cozinhar, ler, ver televisão. Mas, principalmente, quero voltar a vender meus sacolés de fruta.  É uma renda extra que me ajuda muito, porque só com a aposentadoria não dá para sobreviver", afirmou ela após a cirurgia.

    Access log