Rio de Janeiro Crivella visita obras do memorial do Holocausto no Rio

Crivella visita obras do memorial do Holocausto no Rio

Local, previsto para inaugurar em maio, está sendo construído em homenagem aos 11 milhões de mortos durante a Segunda Guerra 

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto (27/01)

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto (27/01)

Reprodução / Museu de Auschwitz-Berkenau

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, nesta segunda-feira (27) – Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto – as obras do memorial que está sendo construído em homenagem aos 11 milhões de mortos durante a Segunda Guerra Mundial. O museu está sendo construído no Parque Yitzhak Rabin, no Mirante do Pasmado, em Botafogo, zona sul da cidade.

Leia mais: Justiça aceita denúncia contra Cedae em caso iniciado em 2015

De acordo com a Associação Cultural Memorial do Holocausto do Rio, responsável pelo projeto, a parte estrutural já está totalmente concluída. A previsão é que a inauguração ocorra em maio.

O memorial está sendo construído em uma área de quatro mil metros quadrados, cedida pelo município do Rio, e custará R$ 15 milhões. Os recursos são oriundos de doações da iniciativa privada.

No local, alunos e professores da rede municipal de ensino terão cursos de história gratuitos, assim como acesso ao museu que está sendo erguido. Um elevador panorâmico vai destacar as belezas naturais vistas do mirante.

“Nós viemos aqui hoje para prestar reverente e solene homenagem a todas as vítimas inocentes. Elas não serão esquecidas jamais. Que nunca mais torne a acontecer o holocausto”, disse Crivella.

Obelisco
O engenheiro responsável pelo Memorial às Vítimas do Holocausto Rio, Guilherme Lucas, informou que o equipamento terá um obelisco de 19,8 metros de altura e 18 marcações em pedras, com inscrições referentes a valores sobre a vida.

Segundo o presidente da Associação Cultural Memorial do Holocausto, Arnon Velmovitsky, a ideia é que "as pessoas entrem aqui e saiam com outra visão de valorização da vida. Em dado momento, os visitantes darão as mãos para chegar até um muro, que será tocado em conjunto. Será o momento mais emocionante da visita”, afirmou.

Últimas