Rio de Janeiro Dois jovens que acusam PMs de abuso sexual prestam depoimento 

Dois jovens que acusam PMs de abuso sexual prestam depoimento 

Após apuração interna, SuperVia demitiu dois funcionários por envolvimento no caso; Corregedoria investiga participação de policiais militares 

Jovens prestam depoimento sobre caso na estação Maracanã

Caso ocorreu na estação de trem do Maracanã

Caso ocorreu na estação de trem do Maracanã

Reprodução/Facebook

Dois jovens que acusam PMs de abuso sexual prestaram depoimento, nesta quarta-feira (10), na 1ª DPJM (Delegacia de Polícia Judiciária Militar) no bairro do Méier, zona norte do Rio de Janeiro.

Leia mais: Familiares de barbeiro acusam PMs de matar jovem em Nova Iguaçu (RJ)

As vítimas denunciaram o caso à Corregedoria da Polícia Militar na última segunda-feira (8). De acordo com familiares, os jovens foram obrigados por policiais militares a praticar relações sexuais entre eles na estação de trem do Maracanã, zona norte, no domingo (7).

O caso ainda teria sido presenciado por um funcionário da SuperVia, que registrou toda a ação em um vídeo.

O caso

Em entrevista ao R7, a mãe de uma das vítimas, Djenane Garcia Lima, disse que os dois haviam saído de casa no município de Paracambi, na Região Metropolitana, para comprar drogas.

Ela contou ainda que os adolescentes foram abordados pelos militares dentro do vagão quando eles se dirigiam à estação São Francisco Xavier, também na zona norte.

Segundo a mãe, os dois foram levados pelos policiais para um ambiente que não tinha câmeras de segurança. No local, dez homens forçaram os jovens a praticar o ato sexual.

Investigação

Por meio de nota, a concessionária que administra os trens informou, nesta quarta-feira (10), que abriu uma sindicância interna e demitiu dois funcionários por envolvimento no caso.

A SuperVia também disse que vai registrar os fatos apurados na delegacia. A empresa adiantou que pretende participar como assistente de acusação no processo.

Já a Polícia Militar informou que não é possível identificar os PMs nas imagens. Por outro lado, a Corregedoria afirmou que realiza diligências para verificar se há envolvimento de PMs na denúncia.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira