Rio de Janeiro Doze militares serão julgados pela morte de músico e catador  

Doze militares serão julgados pela morte de músico e catador  

Ação do Exército terminou com carro de Evaldo atingido com mais de 80 tiros. Catador foi baleado ajudando família a sair do veículo

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*

Carro foi alvejado com mais de 80 tiros em 2019

Carro foi alvejado com mais de 80 tiros em 2019

Reprodução/Record TV Rio

Os doze militares do Exército envolvidos na morte do músico Evaldo Rosa dos Santos, de 46 anos, e do catador de recicláveis Luciano Macedo, de 27, no dia 7 de abril de 2019 serão julgados pelo Superior Tribunal Militar no próximo dia 7 de julho. Na ação, os agentes teriam confudido o veículo de Evaldo com o de criminosos e disparado 257 vezes.

Dos tiros, mais de 80 atingiram o carro que a vítima estava com a família, em Guadalupe, na zona norte do Rio. O catador foi baleado enquanto ajudava o músico e os parentes a saírem do veículo.

Evaldo estava com a esposa, o sogro e o filho de 7 anos, que sobreviveram ao ataque.

Todos os militares respondem pelos crimes de duplo homicídio qualificado, tentativa de homicídio e omissão de socorro. Segundo o STM, o julgamento será às 9h e aberto ao público, respeitando as normas de distanciamento social da covid-19. 

*Estagiária do R7, sob supervisão Celso Fonseca 

Últimas