Caso Henry

Rio de Janeiro Dr. Jairinho pode perder Medalha Tiradentes concedida pela Alerj

Dr. Jairinho pode perder Medalha Tiradentes concedida pela Alerj

Homenagem é a maior honraria do Estado. Parlamentar está preso pela morte do enteado Henry Borel

Resumindo a Notícia

  • Deputado Noel de Carvalho protocola pedido de revogação da homenagem de 2007
  • "Morte do Henry, que agora é um anjo, dói na nossa alma", disse deputado
  • Medalha Tiradentes homenageia pessoas que prestam bons serviços à população e ao país
  • Justificativa apontava preocupação do vereador com política de saúde para infância e juventude

O vereador Dr. Jairinho, preso na investigação que apura a morte do enteado, Henry Borel, pode perder a Medalha Tiradentes - maior honraria do Estado - que recebeu da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio) em 2007. O pedido de revogação da homenagem foi protocolada pelo deputado Noel de Carvalho (PSDB) na última segunda-feira (12).

Dr. Jairinho é suspeito pela morte do enteado

Dr. Jairinho é suspeito pela morte do enteado

Reprodução/Record TV

"É inimaginável que alguém cometa qualquer ato violento contra quem quer que seja, principalmente quando a vítima é uma criança, que não tem como se defender. É um ato muito covarde que se torna ainda mais repulsivo quando essas agressões resultam em morte. A morte do Henry, que agora é um anjo, dói na nossa alma”, alegou o deputado.

Dr. Jairinho recebeu a medalha, que homenageia pessoas que prestam bons serviços à população e ao país, durante seu primeiro mandato na Câmara Municipal. O título foi concedido pelo então deputado Antonio Pedregal.

Na justificativa, o vereador foi descrito como um dos mais “valorosos cidadãos” do Estado e que "muitas vezes, abdicaria do tempo com a família, com o propósito de servir à nação”.

“Uma das questões que mais preocupam o vereador, como médico, é a falta de uma política séria de prevenção na área da infância e da juventude", afirmava o texto da homenagem.

Junto com a namorada Monique Medeiros, Dr. Jairinho foi preso por atrapalhar as investigações da morte de Henry Borel na última quinta (8). O casal é apontado pela polícia como responsável pelo crime no último dia 8 de março. 

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas