Rio de Janeiro Dupla é presa no Paraná por morte de policial na Baixada Fluminense

Dupla é presa no Paraná por morte de policial na Baixada Fluminense

Umas das criminosas se descreve nas redes sociais como "marginal influencer, ex-detenta"

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento, do R7 *

Agentes da DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) prenderam nesta quarta-feira (17), Mayra Thamires Ribeiro Dantas Actis Pereira, de 27 anos, e Elisangela Bernardino Abas, de 29 anos, em Curitiba, no Paraná, pelo assassinato do ex-namorado de uma delas, o perito da Polícia Civil aposento Ricardo Girardi Araújo, de 60 anos.

Dupla fez viagens com dinheiro da vítima

Dupla fez viagens com dinheiro da vítima

Arquivo pessoal

Segundo as investigações, o crime aconteceu no dia 14 do mês passado, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense e foi registrado por câmeras de segurança. A vítima do homicídio era pai da filha de Mayra e teve a casa invadida pelas autoras do crime, que são namoradas.

Nas imagens, o perito aparece dormindo no sofá da sala enquanto as mulheres estão em outro cômodo junto com um comparsa, ainda não identificado. Nos registros é possível ver Mayra atirando na cabeça de Ricardo. Os autores do crime fugiram levando carros, dinheiro e armas. Um dos veículos foi abandonado na beira da rodovia Presidente Dutra, na região sudoeste do Rio de Janeiro.

No dia 18 de fevereiro, quatro dias após o crime, a morte do policial foi descoberta e as investigações começaram. Após serem identificadas, as criminosas passaram a ser monitoradas pela polícia através das redes sociais, onde Mayra, inclusive, se descreve como "marginal influencer, ex-detenta".

Elas fugiram do Rio em um ônibus com destino a São Paulo. Seguiram para Foz do Iguaçu, no Paraná e permaneceram na cidade por alguns dias, realizando diversos passeios turísticos arcados com o dinheiro roubado da vítima.

O casal foi localizado em um apartamento alugado e estava na posse da arma usada no crime. As parceiras foram direcionadas à DP local, onde foi decretada a prisão em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

Musa da São Clemente morreu de embolia pulmonar, diz Polícia Civil

As comparsas estiveram presas juntas entre os anos de 2019 e 2020, onde se conheceram. Mayra foi presa por roubo e Elisângela por tentativa de homicídio. Ambas foram soltas no final do ano passado e retornaram à prisão no início deste ano, pelo furto de uma motocicleta.

* Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas