Rio de Janeiro Entidades fazem operação contra construção da milícia na Muzema

Entidades fazem operação contra construção da milícia na Muzema

Prédio residencial na estrada do Itanhangá estaria sendo construído sem projeto aprovado e desrespeitando leis municipais 

Milícia construía prédio residencial na Muzema

Milícia construía prédio residencial na Muzema

Reprodução/Record TV Rio

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro participa, nesta quarta-feira (22), de uma operação para demolir uma construção na localidade da Muzema, ligada à milícia que atua na comunidade de Rio das Pedras, zona oeste da cidade. Esta é a terceira ação no período de um mês para impedir obras irregulares na região.

Situado na Estrada do Itanhangá nº 2.220, o prédio residencial irregular pertence ao policial militar Ronny Pessanha de Oliveira, preso em dezembro de 2020, durante a Operação Sturm. O edifício foi construído sem projeto aprovado pela prefeitura e em desacordo com as leis municipais de parcelamento do solo urbano, segundo o MP-RJ.

Em nota, a promotora de Justiça Roberta Laplace destacou que a ação conjunta com a Prefeitura do Rio é importante para diminuir uma das maiores fontes de renda dos grupos paramilitares. Desde 2019, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado) já denunciou 72 integrantes. 

A força-tarefa para enfrentamento à ocupação irregular do solo urbano foi criada em 19 de outubro, para combater a ocupação irregular do solo no município. Os crimes estão relacionados às áreas criminal e do meio ambiente, além do planejamento urbano que atinge principalmente os bairros das zonas oeste e norte da cidade.

No dia 10 de dezembro, um prédio comercial que estava sendo construído pela milícia de Rio das Pedras em área pública foi demolido. De acordo com as investigações, as lojas seriam alugadas para comerciantes locais. 

Últimas