Rio de Janeiro 'Estamos empenhados', diz procurador sobre investigação da morte de Moïse Kabagambe

'Estamos empenhados', diz procurador sobre investigação da morte de Moïse Kabagambe

MP-RJ busca promover direitos e acolhimento dos familiares e afirma que investigação não acabou com prisão dos agressores

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*

MP-RJ ouve familiares de Moïse e garante apuração

MP-RJ ouve familiares de Moïse e garante apuração

Andre Coelho/EFE - 05.02.2022

O procurador-geral de Justiça Luciano Mattos afirmou que o Ministério Público do Rio de Janeiro está empenhado em escutar os familiares de Moïse Kabagambe, de 24 anos, e dar prosseguimento à investigação sobre o assassinato dele. Nesta quinta-feira (10), os parentes foram ouvidos por promotores e procuradores. 

"[...] O MP tinha apenas uma atuação tradicional de promover a responsabilização, a prisão e a conclusão punitiva do caso, mas não havia um olhar para a vítima e seus familiares. Agora, há toda uma estrutura de promoção dos direitos das vítimas que trabalha para acolhimento dos familiares e auxilia na prestação de informações sobre a investigação”, destacou Mattos. 

Na reunião, o promotor de Justiça Alexandre Murilo Graça apresentou um panorama das investigações. Ele frisou que a apuração não se esgotou com a prisão dos três homens flagrados por câmeras agredindo Moïse e que eventuais outros crimes correlatos serão esclarecidos. "Estamos diante de um crime bárbaro, daremos uma resposta", garantiu Graça. 

O jovem congolês Moïse Kabagambe foi espancado até a morte em um quiosque no posto 8 da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. A gestão do local onde ocorreu o crime foi concedida à família da vítima pela prefeitura. 

*Estagiária do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas