Caso Henry

Rio de Janeiro Ex-mulher de Dr. Jairinho confirma agressão antes da lua de mel

Ex-mulher de Dr. Jairinho confirma agressão antes da lua de mel

Mãe dos filhos do vereador contou que foi agredida com chutes na canela após briga por suposta traição

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Jefferson Monteiro, da Record TV

A ex-mulher de Dr. Jairinho confirmou em depoimento à polícia, na sexta-feira (9), ter sido agredida pelo vereador antes da lua de mel. O casal ficou junto por 21 anos e oficializou a união em 2013. A mãe dos dois filhos do parlamentar foi ouvida como testemunha na investigação que apura a morte do menino Henry e prendeu Dr. Jairinho e namorada Monique Medeiros.

Dr. Jairinho foi preso na investigação da morte de Henry

Dr. Jairinho foi preso na investigação da morte de Henry

FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO/ 10.04.2021

Na ocasião, a nutricionista disse ter descoberto que o então marido se encontraria com uma mulher e, ao desfazer as malas para viagem, recebeu chutes na canela. Um exame de corpo de delito confirmou a agressão.  Ela disse que se separou dele por cerca de seis meses, mas decidiu retirar a queixa na polícia ao retomar a relação.

A ex-mulher do vereador afirmou que o episódio de violência ocorreu somente uma vez, o que contraria a versão dele apresentada à polícia - Dr. Jairinho admitiu somente agressões verbais contra a ex-mulher.

A nutricionista disse à polícia que as brigas ocorriam com frequência devido às traições do ex-marido. Por outro lado, declarou que era ela quem falava mais alto nas discussões que chamavam a atenção dos vizinhos e que Dr. Jarinho é um bom pai.

Ela declarou ter ficado perplexa ao ver que um perfil nas redes sociais, que teria sido criado pela defesa do vereador, postou uma foto do filho dela com o menino Henry. Segundo ela, as crianças não tinham relação de amizade.

Morte de Henry

O vereador Dr. Jairinho está preso temporariamente em Bangu 8, no Complexo de Gericinó, suspeito, junto com a namorada Monique Medeiros, de ser responsável pela morte do enteado, o menino Henry.

De acordo com fontes da Record TV, Dr. Jairinho não manifestou emoção durante a primeira noite na prisão. Ele apenas disse que se sentia injustiçado.

Para o delegado Henrique Damasceno, responsável pelo caso, "não resta a menor dúvida" de que a mãe e o padrasto da criança causaram a morte do menino.

Segundo ele, o casal será indiciado por homicídio duplamente qualificado, com emprego de tortura e sem chances de defesa da vítima.

A versão do casal de que Henry foi vítima de um acidente doméstico é totalmente descartada pelos investigadores em razão das múltiplas lesões no corpo do menino.

Últimas