Rio de Janeiro Família quer esclarecer mistério em morte de carioca no Alasca 

Família quer esclarecer mistério em morte de carioca no Alasca 

Corpo do advogado Sandro Simões foi encontrado por guardas em parque. Causa da morte não foi informada

Advogado morreu no Alasco

Advogado morreu no Alasco

Record TV Rio

A família do advogado carioca Sandro Simões, de 35 anos, busca respostas sobre os mistérios que envolvem a morte dele em um parque no Alasca, território dos Estados Unidos, há cerca de 20 dias.

Até o momento, os parentes sabem que o corpo do advogado foi encontrado sem indícios de violência, mas a causa da morte não foi informada.

Os parentes receberam a confirmação da morte de Sandro duas semanas após a data prevista para o retorno dele ao Brasil.

Antes de ir para o Alasca, Sandro passou por Cancún, no México. Pessoas ligadas a ele disseram que o advogado havia decidido viajar após pedir demissão e descobrir uma grave doença.

Em choque com a notícia, a mãe Laurinda Fátima fez um apelo para que o corpo do filho seja levado para o Rio de Janeiro.

"Só quero que alguém me escute e traga meu filho. Se o meu filho se foi, que eu saiba de quê", disse a mãe.

A advogada que representa a família cobrou mais empenho das autoridades e pediu que um inquérito seja aberto para investigar o caso.

"A gente ainda não sabe o motivo da morte, onde corpo ficou conservado, se ficou conservado, se teve autópsia.  A família não foi procurada pelo Itamaraty. Na verdade, a família procurou o Itamaraty e o Consulado. As informações são muito truncadas e demoradas ", disse Karina Costa.

Em nota, o Itamaraty disse que está prestando apoio à família.

Últimas