Rio de Janeiro Flordelis faz homenagem para marido assassinado após audiência

Flordelis faz homenagem para marido assassinado após audiência

Parlamentar disse em uma publicação que sente saudades e negou as acusações de ter mandado matar o pastor Anderson do Carmo

  • Rio de Janeiro | Raíza Chaves, do R7*

Flordelis é acusada de mandar matar o marido no Rio

Flordelis é acusada de mandar matar o marido no Rio

Reprodução/Facebook

Um dia após a audiência do caso da morte do pastor Anderson do Carmo, a deputada federal Flordelis usou as redes sociais para fazer uma homenagem ao marido.

No sábado (5), a parlamentar disse em uma publicação que sente saudades do pastor e negou as acusações de ter mandado matar o marido. 

"Os grandes sonhos da minha vida morreram com ele, porque somente com ele seria possível realizá-los. Juntos nos completávamos. Sinto muito a sua falta. A verdade vai aparecer, meu Nem, e a Justiça será feita".

No dia anterior a postagem na rede social, outras testemunhas de acusação foram ouvidas na audiência, entre elas, Yvelise de Oliveira, mulher de Arolde de Oliveira, que prestou depoimento por vídeoconferência; e Kelly Cristina, que na hora do depoimento pediu que todos saíssem, inclusive a parlamentar. Não foi divulgado o que Yvelise falou.

Após alguns filhos relatarem em depoimento maus-tratos e ameaças, como a de que a parlamentar "tiraria sangue caso não fizessem o que ela queria", Flordelis disse que “isso não existe e quem quiser saber dos filhos pode ir na casa dela e tudo bem”.

A próxima audiência está prevista para o dia 18 de dezembro.

Caso

O pastor Anderson do Carmo foi assassinado em junho de 2019, na região de Pendotiba, em Niterói, região metropolitana do Rio.

As investigações, que na primeira fase apontaram dois filhos do casal como autores do crime, agora julga os autores intelectuais do crime.

Todos os 11 acusados do processo estavam na audiência, incluindo a deputada federal Flordelis, apontada como mentora intelectual do crime. A esposa de Anderson é a única que não está presa por ter imunidade parlamentar.

Ao ser abordada por jornalistas na entrada do Fórum, a defesa afirmou que Flordelis está muito emocionada, é inocente e "jamais cometeu esse crime bárbaro".

Já a parlamentar negou as acusações.

"Não mandei matar meu marido, jamais faria isso”, comentou.

Segundo a Polícia Civil, além da execução, Flordelis e família teriam tentado envenenar Anderson por, pelo menos, um ano com veneno para ratos.

*Sob supervisão de Thiago Calil

Últimas