Rio de Janeiro General chefe do Gabinete de Intervenção no Rio deixa cargo

General chefe do Gabinete de Intervenção no Rio deixa cargo

Mauro Sinott assumirá função de comando do Exército no Rio Grande do Sul; Segundo porta-voz, saída de general já estava prevista

General chefe do Gabinete de Intervenção no Rio deixa cargo

General Sinott foi nomeado em fevereiro pelo interventor Braga Netto

General Sinott foi nomeado em fevereiro pelo interventor Braga Netto

Tânia Rêgo/Agência Brasil

O general Mauro Sinott Lopes deixou a chefia do Gabinete de Intervenção Federal no Rio de Janeiro. Conforme publicado no Diário Oficial da União, quem assumiu o cargo foi o general de Divisão Paulo Roberto de Oliveira. De acordo com o gabinete, a troca de comando já era prevista.

O porta-voz do Gabinete, coronel Itamar, explicou que Sinott foi nomeado, em março, comandante da terceira divisão do Exército de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, porém continuou no Rio até a conclusão do planejamento do gabinete.

Mauro Sinott Lopes era o braço direito do interventor general Walter Souza Braga Netto. A nomeação dele ao cargo, no dia 23 de fevereiro, se deu “em função da experiência e engajamento nas atividades iniciais da Intervenção Federal”, segundo informou o Gabinete.

O general Paulo Roberto, que assumiu a chefia este mês, é natural de Curitiba, no Paraná. Ele exercia a função de chefe do Estado-Maior do CML (Comando Militar do Leste) desde agosto de 2016. O oficial iniciou carreira na Arma de Infantaria, já comandou a 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, em Cascavel, e foi chefe do Estado-Maior do Oeste.

Como chefe do gabinete, o general Paulo Roberto assume papel importante na Intervenção Federal no Rio, se reportando diretamente ao interventor Braga Netto, sem se subordinar ao próximo secretário de Estado de Segurança, o general de Divisão Richard Fernandez Nunes.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Raphael Hakime

    Access log