Rio de Janeiro Gerente de boate é presa por exploração sexual de menores no RJ

Gerente de boate é presa por exploração sexual de menores no RJ

Dois estabelecimentos foram fechados pela polícia em Niterói; jovens eram mantidas em condições precárias de higiene

Uma mulher de 37 anos foi presa pela Polícia Civil pelo crime de exploração sexual de duas adolescentes na boate que gerenciava em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, na noite de quinta-feira (13).

Boate foi interditada em Niterói por exploração infantil

Boate foi interditada em Niterói por exploração infantil

Reprodução/Record TV Rio

Agentes da 76ª DP (Niterói) encontraram as duas jovens, de 16 e 17 anos, se prostituindo em uma boate, localizada no centro de Niterói. As adolescentes foram levadas para prestar depoimento na delegacia e a gerente do estabelecimento foi detida em flagrante.

Segundo a polícia, as jovens eram moradoras da Baixada Fluminense e estavam hospedadas na boate com outras 15 mulheres, em condições precárias de higiene e conforto.

A operação ocorreu simultaneamente em duas casas de prostituição, que ficavam sobrepostas em um prédio do município, após os agentes tomarem conhecimento de uma festa à fantasia que ocorreria em uma delas. O evento foi amplamente divulgado nas redes sociais e teria reunido mais de 200 pessoas, segundo o delegado Luis Henrique Marques. Os dois estabelecimentos foram interditados.

Depois de ouvidas na delegacia, as jovens foram encaminhadas ao Conselho Tutelar de Niterói. A gerente da boate foi levada ao sistema prisional, onde ficará presa e à disposição da Justiça.

A polícia busca identificar os responsáveis pelas casas de prostituição, que podem ainda ser autuadas pela promoção de aglomeração durante a pandemia de covid-19.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas