Governo do RJ sanciona reajustes para Educação e Saúde

Os professores receberão aumento de 9% e os profissionais da saúde, de 12%

Os professores das redes estadual e municipal do Rio encerraram a greve da categoria na última sexta-feira (1º)

Os professores das redes estadual e municipal do Rio encerraram a greve da categoria na última sexta-feira (1º)

Divulgação / Sepe

O governo do Rio de Janeiro sancionou reajustes para os profissionais ligados às secretarias de Educação e de Saúde, de 9% e de 12% de aumento de salários, respectivamente.

No caso da Secretaria Estadual de Educação, o piso inicial do magistério, para uma carga horária de 30h semanais, passará de R$ 2.028,67 para R$ 2.211,25, reajuste de R$ 182,58. A hora-aula passará de R$ 16,90 para R$ 18,42.

O aumento é extensivo aos animadores culturais, aposentados e pensionistas, totalizando cerca de 150 mil funcionários públicos. A medida vale a partir desta terça-feira (1º). O salário com os novos valores será depositado em agosto, referente ao pagamento de julho.

Além do reajuste, os docentes da rede estadual terão o seguinte pacote de benefícios: auxílio-transporte (entre R$ 63 a R$ 120/mês); auxílio-qualificação (bônus anual de R$ 500); auxílio-alimentação (R$ 160 mensais); e formação continuada para professores regentes de turma, em parceria Consórcio Cederj. Paralelamente ao curso de formação, o professor recebe uma bolsa-auxílio no valor de R$300 mensais.

Saúde

O governador Pezão sancionou a lei nº 6.842, que concede aumento salarial de 12% aos servidores da SES (Secretaria de Estado de Saúde) e incorporação de gratificações ao salário-base. A partir de julho, 65% da Gratificação de Lotação, Exercício e Desempenho, que era concedida aos servidores estatutários da SES e do IASERJ, será incorporada ao salário, e os outros 35% passam a ser pagos a partir de janeiro de 2015.

Os adicionais de insalubridade também fazem parte da nova lei, que estipula valor mensal entre R$ 73 e R$ 292, dependendo do nível de exposição a agentes nocivos à saúde que os servidores estiverem sujeitos. Serão realizadas avaliações periciais para avaliar esses níveis. Até que sejam realizadas as perícias, os servidores que têm direito ao benefício ganharão adicional no valor de R$ 100.