Rio de Janeiro Governo pede aos EUA extradição de maior fornecedor de fuzis

Governo pede aos EUA extradição de maior fornecedor de fuzis

Procurado desde 2009, Frederik Barbieri foi preso em casa, na Flórida; com ele foram apreendidos 40 fuzis e outras armas

fornecedor de fuzis

Barbieri foi preso na Flórida

Barbieri foi preso na Flórida

Reprodução

O Ministério da Justiça informou, neste sábado (24), que já solicitou ao governo norte-americano a extradição de Frederik Barbieri.

Ainda de acordo com a nota oficial, o pedido ainda depende de uma documentação complementar para ser analisado. "Frederik Barbieri é investigado em procedimentos criminais  instaurados no Brasil e nos EUA. Os pedidos de cooperação jurídica internacional entre os países para produção de provas encontram-se em andamento".

Barbieri é apontado pela polícia do Rio como maior fornecedor de fuzis para o Brasil. Ele foi preso hoje por agentes do Serviço de ICE (Imigração e Alfândegas dos Estados Unidos) em casa, na Flórida. Com ele foram apreendidos 40 fuzis e outras armas. O suspeito era procurado pela polícia desde 2009.

Segundo a Polícia Civil, Barbieri foi o responsável por enviar 60 fuzis, em maio de 2017, de Miami para o Rio. As armas foram interceptadas no aeroporto do Galeão, na maior apreensão de armas da história.

As armas - AK-47, G3 e AR-10 estavam escondidas em contêineres, em meio a uma carga de aquecedores para piscinas.

Em entrevista ao R7, o delegado Fabrício Oliveira, titular da Desarme (Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos), que participou das investigações, afirmou que considera difícil uma possível extradição do suspeito, já que ele é cidadão americano.

    Access log