Rio de Janeiro Idosa tem corpo cremado por engano após erro de hospital no Rio

Idosa tem corpo cremado por engano após erro de hospital no Rio

Hospital Municipal Ronaldo Gazolla trocou corpos de idosas que faleceram de covid-19 na unidade no último fim de semana

Josefa Ferreira foi cremada por engano

Josefa Ferreira foi cremada por engano

Reprodução/Record TV Rio

Uma idosa teve o corpo cremado por engano devido a uma falha do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, zona norte do Rio de Janeiro. Josefa Ferreira, de 70 anos, faleceu no último sábado (25) vítima de covid-19 e teve o corpo trocado com o de outra senhora.

A filha de Josefa, Ana Paula Ferreira, contou ao Balanço Geral Tarde que foi chamada ao hospital para reconhecer o corpo da mãe. No entanto, viu que a mulher falecida não era ela.

O corpo mostrado a Ana Paula era o de Gecélia Barbosa, de 89 anos, que também faleceu em decorrência de complicações da covid-19, no mesmo hospital, na sexta (24). Ela deu entrada no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, por conta de uma fratura no fêmur, e foi transferida após ser diagnosticada com a doença.

Ao perceber o erro, a unidade entrou em contato com a família de Gecélia e descobriu que o corpo de Josefa já havia sido cremado.

Ana Paula disse se sentir "vazia por dentro" e afirmou que a mãe sempre declarou em vida que não desejava ser cremada, e sim enterrada. As duas famílias pretendem procurar a Justiça para a reparação dos danos.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que a filha de Gecélia reconheceu o corpo de Josefa como sendo o da mãe por engano. A direção do Hospital Ronaldo Gazolla declarou que está prestando apoio às duas famílias e que uma sindicância foi aberta para apurar o ocorrido e as responsabilidades na falha.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Últimas