Rio de Janeiro Jovem coloca fogo em casa e mata dois irmãos em Maricá

Jovem coloca fogo em casa e mata dois irmãos em Maricá

Homem confessou que provocou incêndio por não aceitar fim do relacionamento entre mãe e padrasto; meninos tinham 2 e 3 anos

  • Rio de Janeiro | Rafaela Oliveira, do R7*, com Record TV Rio

Resumindo a Notícia

  • Adolescente de 16 anos provocou incêndio por não aceitar término da mãe com padrasto
  • Dois irmãos do jovem, de 2 e 3 anos, morreram carbonizados dentro da casa
  • Mãe estava no mercado e passou mal ao chegar no local
  • Estado do Rio é o segundo mais violento para crianças e adolescentes, segundo pesquisa
Corpo de crianças carbonizadas está no IML de Niterói

Corpo de crianças carbonizadas está no IML de Niterói

Reprodução/Record TV Rio

Um jovem ateou fogo na casa onde morava em Maricá, município da região metropolitana do Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira (25). Segundo a polícia, o adolescente de 16 anos teria matado os dois irmãos mais novos, de 2 e 3 anos.

O crime teria sido motivado por ele não aceitar o término de relacionamento entre a mãe e o padrasto. 

Na ação, o menor fugiu do local, mas vizinhos conseguiram localizá-lo em uma praia e o renderam até a chegada da polícia. O suspeito não apresentou resistência e confessou a autoria do crime, de acordo com informações obtidas pela Record TV Rio

A mãe dos meninos estava no mercado no momento do incêndio. Ela teria passado mal quando retornou à residência, em chamas. Ela foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Equipes do 12º BPM (Niterói) acionaram a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. A perícia foi realizada no local e os corpos das vítimas encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) de Niterói. 

O Rio de Janeiro é o segundo estado com mais casos de violência contra crianças e adolescentes no Brasil, segundo uma pesquisa da Rede de Observatórios de Segurança. Dos 324 casos registrados de junho de 2019 e maio de 2021, 87 foram de homícidio, 57 de violência sexual, 47 de agressões físicas ou tortura e 37 ocorrências de bala perdida. 

*Estagiária do R7, sob supervisão Celso Fonseca 

Últimas