Rio de Janeiro Justiça condena mais 2 milicianos presos na Operação Intocáveis

Justiça condena mais 2 milicianos presos na Operação Intocáveis

Dupla atuava em comunidades de Rio das Pedras, Muzema e adjacências, na zona oeste do Rio de Janeiro

Milicianos do Rio das Pedras e Muzema, na zona oeste do Rio, são condenados

Milicianos do Rio das Pedras e Muzema, na zona oeste do Rio, são condenados

Fabio Costa/ANF

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro obteve na Justiça a condenação de mais dois milicianos, na madrugada desta sexta-feira (8), que controlavam as comunidades de Rio das Pedras, Muzema e adjacências, na zona oeste da cidade.

Eles foram presos durante a Operação Intocáveis, em 2019, que desarticulou a organização criminosa. Um deles, que tinha cargo importante no grupo, foi condenado a 17 anos de prisão; o segundo teve pena fixada em 14 anos.

A dupla foi condenada pelo IV Tribunal do Júri por integrar o grupo atuante na capital e por corrupção ativa. Segundo o MP-RJ, durante a audiência, ficou comprovado que os réus, além de praticarem atos típicos de milícias, também tinham grande influência em órgãos públicos, principalmente os voltados à segurança pública. 

Na semana passada, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado) condenou a 30 anos de prisão o líder da milícia de Rio das Pedras, conhecido como Maurição. Além dele, o homem conhecido como "Mágico", braço armado da organização, foi condenado a oito anos.

O órgão informou ainda que as penas impostas pela Justiça serão cumpridas em regime fechado, não podendo recorrer em liberdade. Os demais oito réus presos na operação Intocáveis devem ser julgados nos próximos meses.

Últimas