Caso Henry

Rio de Janeiro Mãe de Henry e Dr. Jairinho são levados para presídio no RJ

Mãe de Henry e Dr. Jairinho são levados para presídio no RJ

Casal foi preso por atrapalhar as investigações da morte do menino, intimidando testemunhas e combinando versões

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Agência Estado

O vereador Dr. Jairinho e a mãe do menino Henry, Monique Medeiros, foram levados na tarde desta quinta-feira (8) para a cadeia de Benfica, na zona norte do Rio, porta de entrada do sistema prisional fluminense. A Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) informou, às 18h40, que Monique foi encaminhada ao Instituto Penal Ismael Sirieiro, em Niterói, e Jairo Souza Santos Júnior, levado para o presídio Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó. 

Monique Medeiros e Dr. Jairinho foram presos

Monique Medeiros e Dr. Jairinho foram presos

FotoArena/Estadão Conteúdo - 08.04.2021

Às 6h30, Monique e Jairinho foram presos temporariamente na casa de parentes em Bangu, na zona oeste, por atrapalhar as investigações da morte de Henry, intimidando testemunhas e combinando versões.

Os dois foram encaminhados à 16ª DP (Barra da Tijuca), que investiga o caso. Em seguida, passaram pela Cidade da Polícia para checagem padrão e, mais tarde, fizeram exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal).  

O delegado responsável pela investigação, Henrique Damasceno, disse que "não resta a menor dúvida" de que o casal está envolvido no homicídio.

Entre os indícios que levaram a polícia a desconfiar da participação deles está uma troca de mensagens entra a mãe e a babá que mostra que as duas sabiam de agressões cometidas pelo padrasto contra a criança. A conversa ocorreu um mês antes da morte de Henry.

Sessão de torturas

Henry morreu no Hospital Barra D’Or, na Barra da Tijuca. Foi levado para lá pelo casal, que alegava tê-lo encontrado desmaiado no quarto onde a criança dormia. O menino estaria com olhos revirados, pés e mãos geladas e dificuldades para respirar.

De acordo com os médicos, o garoto chegou ao estabelecimento em parada cardiorrespiratória. No Instituto Médico Legal, a necropsia constatou múltiplos sinais de trauma, como equimoses, hemorragia interna e ferimentos no fígado, típicos de agressão.

A polícia suspeita que Henry tenha morrido depois de ser submetido por Dr. Jairinho a uma sessão de torturas, com o conhecimento de Monique. Aos investigadores, o casal afirmou suspeitar que o menino teria se ferido em uma queda. Os ferimentos, contudo, não são compatíveis com essa versão.

Últimas