Mãe nega que morto no Jacarezinho seja criminoso: "Quero ver provar"

Polícia Militar não explicou as circunstâncias em que adolescente de 15 anos foi atingido durante operação na zona norte do Rio

Mãe passou mal ao receber notícia da morte do jovem

Mãe passou mal ao receber notícia da morte do jovem

Record TV

Entre os quatro mortos em um tiroteio durante uma operação policial no Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, na última segunda-feira (16), está um adolescente de 15 anos. 

Leia mais: Trem é sequestrado por seis homens na zona norte do Rio

Muito abalada, a mãe de Rafael, Raquel Dias, passou mal ao receber a notícia da morte do filho no Hospital Salgado Filho, no Méier. Em entrevista à Record TV, ela negou que o jovem, inicialmente tratado como suspeito, tivesse envolvimento com o crime.

"Se eles estão falando que meu filho é traficante, quero ver a arma e me provar. Porque eu provo que ele tinha 15 anos e era trabalhador", afirmou. 

A Polícia Militar não explicou as circunstâncias em que o jovem foi atingido. Em nota oficial, a PM informou apenas que seis pessoas haviam ficam feridas na ação, que tinha como objetivo combater o tráfico de drogas.

A Polícia Civil confirmou que abriu um inquérito na DH-Capital (Delegacia de Homicídios) para apurar o caso. No entanto, não deu detalhes sobre o andamento da investigação.  

Balanço final

A operação no Jacarezinho terminou com um homem preso e um menor apreendido, segundo a Polícia Militar. Os PMs ainda encontraram na comunidade uma pistola, um rádio transmissor, um fuzil, material entorpecente e R$ 600 em espécie, além de dois carregadores de pistola. 

*Sob supervisão de Bruna Oliveira