Rio de Janeiro Manifestantes pró-Bolsonaro ocupam avenida em Copacabana

Manifestantes pró-Bolsonaro ocupam avenida em Copacabana

Grupo protestou a favor da "liberdade" e contra o passaporte da vacina que passará a valer a partir do dia 15 no Rio

Agência Estado
Manifestantes se aglomeraram sem máscaras em ato pró-Bolsonaro

Manifestantes se aglomeraram sem máscaras em ato pró-Bolsonaro

Pilar Olivares/Reuters - 07.09.2021

Com ocupação de toda uma faixa da avenida Atlântica, milhares de manifestantes pró-Bolsonaro se reuniu na manhã desta terça-feira (7) em Copacabana. O grupo se concentrou entre os postos 5 e 6 da praia da zona sul.

Há pelo menos cinco caminhões de som. Alguns entretêm os manifestantes com músicas, enquanto outros são usados para discursos inflamados em favor da "liberdade" e do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Entre as inúmeras faixas estendidas, algumas fazem pedidos como por uma nova constituição, "criminalizando o comunismo e penalizando quem fomentar" ou o "fim do pedágio e isenção do IPVA para motociclistas".

Um grupo também está fazendo um abaixo-assinado contra o "passaporte sanitário".

Decreto do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), estabelece que a partir do próximo dia 15 somente pessoas com comprovante de vacinação em dia poderão frequentar lugares de uso coletivo, como academias e cinemas.

Devido à manifestação, o trânsito é lento no bairro e o acesso a algumas vias próximas à orla está restrito.

Prisão

Durante protesto a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro, um homem foi preso portando uma faca e um soco inglês. Conforme a assessoria de imprensa da Operação Segurança Presente, a prisão ocorreu na Rua Bolívar, transversal da Avenida Atlântica, famosa via da orla, próximo de onde os manifestantes favoráveis a Bolsonaro se concentraram para o ato.

"Policiais do Copacabana Presente prenderam em flagrante um homem que portava uma faca, um soco inglês e materiais utilizados para fabricar coquetel molotov", diz a nota da assessoria de imprensa do Segurança Presente, numa referência à bomba caseira, tipicamente fabricada com uso de pequena garrafa de vidro e gasolina. O texto foi publicado também no perfil oficial do programa no Twitter.

Ainda conforme a nota, os agentes suspeitaram do homem porque ele estava "com um grande volume na roupa". "Após a abordagem flagraram os objetos, além de uma máscara de (pintor espanhol) Salvador Dalí", diz o texto.

Últimas