Rio de Janeiro Mulher é salva por vizinhos de tentativa de feminicídio em Piabetá 

Mulher é salva por vizinhos de tentativa de feminicídio em Piabetá 

Criminoso tentou decepar dedos da vítima. Sessão de tortura durou cerca de 30 minutos e vítima conseguiu pedir ajuda

Homem foi preso após buscas

Homem foi preso após buscas

Reprodução/Record TV Rio

Um homem foi preso em Piabetá, na Baixada Fluminense, acusado de tortura e tentativa de feminicídio contra a companheira. O criminoso tentou decepar os dedos da vítima, que foi socorrida por vizinhos.

O casal tinha um relacionamento curto, de apenas um ano, e estavam morando na mesma casa há apenas 15 dias. Segundo a vítima, eles foram em uma festa juntos e voltaram para casa na manhã seguinte por volta das 7h.

O criminoso disse que ia sair para trocar um dinheiro e, de acordo com a vítima, retornou quatro horas depois extremamente alterado. Ela acredita que o companheiro utilizou drogas no período em que ficou sumido.

Os dois começaram uma discussão violenta e o agressor teve uma crise de ciúmes. Ele pediu pra companheira desbloquear o celular e mandar uma mensagem para um amigo dele. Ainda de acordo com a vítima, ele desconfiava que a companheira tinha um caso com o colega.

A vítima negou que tinha um relacionamento com o amigo, mas o agressor não aceitou e começou uma sessão de tortura com socos e chutes. Ele também pegou uma gilete, cortou o cabelo da mulher, que chegou a ficar com o rosto desfigurado, e tentou decepar os dedos dela.

Após 30 minutos de agressão, o criminoso tenta estrangular a companheira com um cabo de ferro para passar roupa. A vítima conseguiu gritar por socorro e foi salva por uma vizinha.

Outros vizinhos foram na casa e levaram a vítima para o Hospital Adão Pereira Nunes em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, para receber os primeiros socorros. O agressor fugiu da casa.

Posteriormente, o homem foi localizado por agentes em Piabetá. O delegado Angelo Lages contou que ele mudou de endereço diversas vezes para não ser encontrado e não reagiu no momento da prisão.

O criminoso já teve outras três passagens na polícia por agressão doméstica contra mulheres.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas