Tragédia no Flamengo
Rio de Janeiro "Nem o presidente veio", diz mãe de atleta após Flamengo negar acordo

"Nem o presidente veio", diz mãe de atleta após Flamengo negar acordo

Insatisfeitos com a postura de representados do clube, familiares das vítimas do incêndio no CT Ninho do Urubu deram negociações como encerradas

flamengo, audiência de mediação, indenizações

De luto, mãe de Arthur lamentou desgaste com o clube

De luto, mãe de Arthur lamentou desgaste com o clube

Reprodução/RecordTV Rio

Os familiares das vítimas do incêndio do CT Ninho do Urubu deixaram  o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), no centro do Rio de Janeiro, insatisfeitos com a postura de representes do Flamengo na audiência de conciliação nesta quinta-feira (21), e deram como encerradas a discussão sobre as indenizações. 

Os parentes reclamaram da ausência do presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e também da saída repentina de um vice-presidente do clube na reunião, alegando ter outros compromissos.

Cachorro é atingido por tiros em comunidade da Baixada Fluminense

“O presidente do Flamengo (Rodolfo Landim) não veio para a reunião. Com 15 minutos, o vice-presidente, que estava presente, saiu sem dar satisfação. Não ficou ninguém do Flamengo para dar aval para que as negociações avançassem. Faltou dignidade e respeito com os pais das vítimas. A cada dia que passa, mais desgaste gera. Fica difícil até mesmo o luto”, disse Marília, mãe do atleta Arthur Vinícius, que morreu na tragédia.

Morre mulher atropelada por motorista sem habilitação no Rio

À Record TV, Marília disse que o Flamengo fez uma proposta de indenização "muito pequena"  e as negociações estão encerradas. “Nossos filhos morreram juntos e vamos lutar juntos. Isso é o que foi combinado”, finalizou.

O encontro de hoje foi a primeira reunião entre Flamengo e familiares das 10 vítimas mortas na tragédia do centro de treinamento do clube, em Vargem Grande, no último dia 8, para tratar de valores das indenizações. 

Anteriormente, Defensoria Pública, MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) e MPT (Ministério Público do Trabalho) tentaram intermediar um acordo coletivo. Porém, o Flamengo recusou a proposta apresentada pelos órgãos de R$ 2 milhões em um primeiro momento e mais uma pensão de R$ 10 mil mensais até a data em que os atletas completariam 45 anos.  

Procurado, o Flamengo informou que não irá se manifestar. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira