Caso Henry

Rio de Janeiro Nova defesa pede que mãe de Henry preste outro depoimento

Nova defesa pede que mãe de Henry preste outro depoimento

Advogados dizem que ela poderá prestar depoimento de maneira "isenta" e falam em libertação de "medo e opressão" 

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo, do R7*, com Record TV Rio

Os novos advogados de Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, pediram que a cliente seja ouvida novamente pela polícia. A defesa esteve na 16ª DP (Barra da Tijuca), nesta quarta-feira (14), para ter acesso ao inquérito que apura a morte da criança.  

Advogado Thiago Minagé integra nova defesa

Advogado Thiago Minagé integra nova defesa

MAURICIO ALMEIDA/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO/14.04.2021

Um dos advogados que integra a equipe, Hugo Novais, afirmou que Monique terá oportunidade de ser ouvida novamente e que, desta vez, de maneira “isenta”. Ele declarou que a estratégia da defesa é exclusivamente em favor de que a mãe de Henry “diga a verdade”.

A defesa não respondeu aos jornalistas quando foi questionada se a professora pretende mudar a versão apresentada no primeiro depoimento. Na ocasião, ela disse que o filho poderia ter sido vítima de acidente doméstico e não relatou as agressões do padrasto contra a criança, o que foi revelado pela polícia após uma perícia no celular dela.  

Já Thaise Mattar Assad, uma das advogadas de Monique, disse à imprensa que a prisão da mãe de Henry Borel “representa a libertação dela contra a opressão e o medo”.

"Por incrível que pareça, a situação é tão trágica que a prisão de Monique representa sua libertação contra a opressão e o medo. Então, deixem a Monique falar", disse a advogada, sem detalhar quem ameaça a cliente. 

O trio de advogados assumiu a defesa de Monique Medeiros na última segunda (12), quatro dias após a prisão dela e do namorado Dr. Jairinho.

O casal teve a prisão temporária decretada pela Justiça por atrapalhar as investigações da morte de Henry, filho de Monique e enteado de Jairinho. Eles são suspeitos de homicídio duplamente qualificado, com emprego de tortura e impossibilidade de defesa da vítima. 

Depoimento da babá

O segundo depoimento da babá de Henry, Thayná de Oliveira, na segunda (12), confirmou que, além da mãe, outros familiares de Monique e Dr. Jairinho tinham conhecimento das agressões que o menino sofria. 

Além disso, a funcionária relatou à polícia não ter mencionado sobre o episódios de violência, na primeira oitiva, por ter se sentido intimidada por Monique.

Ela declarou que, em uma reunião no escritório do ex-advogado do casal, foi orientada sobre o que teria de dizer aos investigadores. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas