Rio de Janeiro Onda de violência no Alemão: criança morta com tiro na cabeça durante confronto é a 4ª vítima

Onda de violência no Alemão: criança morta com tiro na cabeça durante confronto é a 4ª vítima

Desde quinta-feira (2), quatro pessoas morreram em tiroteios no conjunto de favelas

Moradora hostiliza policial após morte de criança (esquerda); em desespero mulher leva mãos à cabeça

Moradora hostiliza policial após morte de criança (esquerda); em desespero mulher leva mãos à cabeça

Reprodução/Vídeo Facebook

Uma criança morreu na tarde desta quinta-feira (2) durante confronto entre traficantes e policiais militares na localidade do Areal, no Complexo do Alemão. Um vídeo postado nas redes sociais mostra o desespero de familiares e vizinhos após a morte da criança. O menino, atingido na cabeça, aparece caído em uma escada da comunidade.
 

Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, uma equipe do Batalhão de Choque fazia patrulhamento na região quando se encontrou com um grupo criminoso. Houve troca de tiros e, segundo os agentes, a criança teria sido atingida por um disparo.

A UPP informou que a Divisão de Homicídios foi acionada. Um inquérito policial foi instaurado e as armas dos policiais serão apreendidas pela Polícia Civil.

Até as 19h, a criança — um menino que aparentava ter dez anos — não havia sido identificada. Trata-se da quarta morte desde ontem, quando confrontos deixaram outros três mortos no conjunto de favelas.

Sem citar a morte da criança, o governador Luiz Fernando Pezão disse, por meio de nota, lamentar "os recentes fatos ocorridos na cidade do Rio de Janeiro" e se solidarizou com as famílias das vítimas. Pezão determinou empenho à polícia nas investigações. Também na tarde de hoje, uma mulher de 49 anos morreu em tiroteio em frente a um shopping da Tijuca, zona norte.

Tiroteios e 3 mortes na quarta-feira (1º)

Tiroteios no conjunto de favelas deixaram ao menos três mortos ontem — uma mulher foi atingida por uma bala perdida dentro de casa.

Durante a tarde, um adolescente de 15 anos foi baleado em um confronto na região conhecida como Fazendinha e encaminhado para o hospital. Já Rodrigo dos Santos, o Farinha, foi morto com uma arma na mão, segundo a polícia.

Elizabeth Alves, de 41 anos, atingida dentro de casa, chegou a receber atendimento no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas também morreu. Sua filha, uma adolescente de 16 anos, foi ferida de raspão.

A família de outro rapaz morto no Alemão na noite de ontem acusa policiais da autoria do disparo e de impedir socorro à vítima. Já a PM diz que ele estava armado e que atirou contra os agentes. A família nega envolvimento do rapaz com o tráfico. Segundo parentes que preferiram não se identificar, Matheus Gomes Lima, de 18 anos, foi baleado pelos PMs em um beco próximo à rua Canitar por volta das 19h. Quando a família do rapaz chegou ao local, apesar de estar ferido, ele ainda estava vivo.

A Polícia Civil informou que vai investigar as mortes ocorridas na comunidade. No caso de Matheus Lima, os agentes envolvidos foram ouvidos e as armas apreendidas para exame de confronto balístico.

Durante a madrugada desta quinta-feira (2), o policiamento foi reforçado na região. Um carro blindado e cinco veículos do Batalhão de Choque faziam ronda na estrada do Itararé. 

Durante a manhã, um contêiner da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) foi depredado no Complexo do Alemão.

Últimas