Rio de Janeiro Pela 4ª semana, Rio permanece com alto risco para covid-19

Pela 4ª semana, Rio permanece com alto risco para covid-19

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, classificação segue a mesma por conta do feriado de Carnaval

Município tem risco alto em todas as regiões administrativas

Município tem risco alto em todas as regiões administrativas

Divulgação/Prefeitura do Rio

A cidade do Rio permanece com todas as todas as 33 regiões administrativas com risco alto para a covid-19. Os dados foram divulgados pelo 6º boletim epidemiológico da Prefeitura, nesta sexta-feira (12).

Por conta do alto nível de contágio, as medidas de combate ao novo cororavírus seguem valendo e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, fez um apelo para a população evitar e denunciar aglomerações no feriado do Carnaval. O evento foi cancelado no município para frear o avanço da doença. 

"Chegou a sexta do Carnaval que não vai acontecer. As razões do cancelamento, de termos regras de distanciamento, de não se permitir festas e bailes, têm o único objetivo: o de preservar vidas. Meu apelo aos cariocas é para que, por favor, evitem aglomerações em blocos e festas, porque é assim que as autoridades sanitárias nos recomendam.". disse Paes.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, a maioria das cidades poderiam estar com o risco moderado para a covid. No entanto, podem surgir novas variantes do vírus no período do Carnaval. 

"Têm situações que a gente não pode ignorar que é a questão do carnaval e também da cepa de Manaus circulando. A gente ainda não tem todas as informações sobre ela. Na saúde pública precisamos ter prudência e a opção foi manter todo mundo em risco alto.", afirmou Soranz.

Apesar da classificação de alto risco, as médias móveis de casos e óbitos pela doença estão em tendência de queda e a fila por leitos está zerada, segundo dados apresentados pelo secretário municipal de Saúde. 

O boletim epidemiológico mostrou ainda que o Rio registrou 194.497 casos de covid-19 e 17.888 óbitos desde o início da pandemia. A letalidade está em 9,2% e a mortalidade em 268,5/100 mil habitantes.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas