Operação Lava Jato

Rio de Janeiro PF aponta desvio de R$ 17 milhões na compra e venda de petróleo

PF aponta desvio de R$ 17 milhões na compra e venda de petróleo

Agentes cumprem 14 mandados, sendo 12 de busca e apreensão e dois ofícios para obtenção de dados telemáticos em três municípios do RJ

  • Rio de Janeiro | Vinícius Andrade, do R7*

Operação cumpre mandados em três cidades do RJ

Operação cumpre mandados em três cidades do RJ

Reprodução / Agência Brasil

A Polícia Federal iniciou, na manhã desta quinta-feira (18), em três cidades do Rio de Janeiro, a operação Sem Limites II, a 71ª fase da operação Lava Jato, que investiga pagamentos de propina a funcionários da área de Trading da Petrobrás, responsável pela compra e venda de petróleo.

Leia também: Investigação ligada à Lava Jato, sem querer, chegou em Fabrício Queiroz

Segundo a corporação, cerca de 40 agentes cumprem 14 ordens judiciais, sendo 12 mandados de busca e apreensão e dois ofícios para obtenção de dados telemáticos nos municípios do Rio, Cabo Frio e Petrópolis.

As ordens judiciais foram expedidas pela 13ª Vara Federal da Justiça Federal em Curitiba, que determinou também o bloqueio de até R$ 17 milhões dos envolvidos, valor do prejuízo causado aos cofres públicos.

De acordo com a PF, após análise nos materiais da primeira operação Sem Limites, em 2018, foram identificados novos indivíduos que auxiliavam e integravam a organização criminosa.

Através do inquérito, foi possível identificar vários doleiros que atuavam até 2018 no mercado paralelo de câmbio e auxiliavam na remessa de valores de propina.

"A suspeita é de que parte dos valores de propina tinham como objetivo o pagamento de intermediários políticos para a manutenção de certos empregados públicos em funções gerenciais estratégicas da Petrobrás", diz a corporação.

Os investigados responderão pela prática dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, organização criminosa, crimes financeiros e de lavagem de dinheiro.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas